Escassez de chips leva marcas de automóveis a deixar cair algumas características tecnológicas

A escassez global de semicondutores está a afetar a indústria automóvel indiscriminadamente e a diminuição da produção de veículos é apenas um dos lados da crise.

De acordo com a ‘Car and Driver’, algumas fabricantes decidiram avançar para a interrupção das linhas de produção de alguns veículos, enquanto outras optaram por eliminar temporariamente algumas características tecnológicas dos seus carros que careciam de chip para o fabrico.

A revista norte-americana compilou as marcas dos veículos e respetivas tecnologias que temporariamente não serão instaladas:

 

BMW: Ecrã tátil

No final de outubro, a marca anunciou que iria remover a funcionalidade nos modelos série 3, série 4 coupe e conversível, série 4 Gran Coupe (excluindo i4), Z4 e todas as variantes do X5, X6 e X7. Contudo, os compradores desses veículos poderão usar métodos de entrada alternativos como o controlador iDrive e o controlo de voz.

Os clientes que não conseguirem um ecrã tátil nos seus veículos irão receber um crédito de 439,89 euros (500 dólares) para gastar noutras opções.

De acordo com a BMW, a mudança irá afetar também quem já tinha encomendado os seus veículos.

 

Chevrolet/GMC: Rádio HD

Durante o verão, a GM anunciou que iria eliminar a opção de rádio HD dos seus sistemas de áudio, dado que não iria conseguir obter o hardware necessário por falta de chips, sendo afetados os modelos do ano de 2021 Chevrolet Silverado 1500s e GMC Sierra 1500s, as pickup 2500 e 3500 do próximo ano, segundo o ‘The Drive’, e ainda os veículos Silverado LS, RST, LT, Trail Boss, LTZ e High Country e SLE, SLT, Elevation, AT4 e Denali Sierras.

A GM irá oferecer aos seus clientes um crédito de 43,99 euros (50 dólares).

 

Chevrolet/GMC: Bancos aquecidos e Steering Wheels

A partir desta semana, a maioria dos SUV e pickups da GM irão perder os assentos aquecidos e ventilados, uma decisão que abrange o Chevrolet Silverado, Traverse (exceto o modelo High Country), Blazer e Equinox, e o GMC Sierra, Acádia (exceto Denali), Canyon e Terrain.

Os clientes irão receber um crédito entre 131,97 euros (150 dólares) e 439,89 euros (500 dólares).

 

Ford: Navegação por satélite

Um responsável da marca assegurou que a opção poderá ser adicionada novamente mais tarde. “Acho que o problema ainda existirá por algum tempo – provavelmente até ao primeiro trimestre do próximo ano”, disse o diretor Neil Wilson, ao ‘Fleet News’.

 

GM: Carregador sem fios

A lista de modelos afetados inclui 2021 Chevy Tahoe, Suburban e GMC Yukon SUVs, bem como o 2022 Buick Enclave, Chevy Traverse e Cadillac XT5 e XT6.

Quem comprar um desses veículos irá receber um crédito de 65,98 euros (75 dólares).

 

Mercedes-Benz: Áudio Premium, luzes LED, entre outros

A empresa garantiu que tem em consideração o tempo de espera dos clientes, tentando “priorizar as entregas de acordo com esse tempo”, sublinhando que as alterações aos modelos, que começaram no final de junho, continuarão “até um novo aviso”.

 

Nissan: Sistemas de navegação

Em maio, uma fonte familiarizada com o assunto disse à “Bloomberg” que a Nissan não iria instalar o sistema de navegação em milhares de veículos novos – cerca de um terço -, num plano para economizar chips para uso nos dois veículos mais vendidos em cada mercado.

 

Tesla: entradas USB, apoio lombar ajustável (Passenger-Seat Lumbar)

Em maio, a Tesla removeu discretamente o apoio lombar do banco do passageiro dianteiro nos EVs Modelo 3 e Modelo Y. No Twitter, o CEO Elon Musk justificou que os dados da empresa mostravam que havia muito pouco uso desse recurso e que não valia a pena o custo da instalação: “Os preços estão a aumentar devido à grande pressão dos preços da cadeia de abastecimento em toda a indústria. Principalmente as matérias-primas”, escreveu o magnata no Twitter.

Recentemente, a Tesla entregou vários Model 3 e Y com a porta USB-C em falta, tendo a gigante automóvel culpado a falta de semicondutores pelo sucedido.

 

GM: Sistema Start-Stop

Em junho, a GM anunciou que os camiões deste ano – Silverado 1500 e GMC Sierra 1500 – não teriam instalada a tecnologia Start-Stop para economizar combustível se tivessem a transmissão automática de 10 velocidades com motores V8 de 5,3 ou 6,2 litros.

Ler Mais


Comentários
Loading...