Covid-19: Quase metade da população portuguesa optou por não fazer festa de aniversário desde que a pandemia começou

47% da população portuguesa decidiu não realizar festa de aniversário desde que a pandemia de covid-19 começou, segundo um estudo levado a cabo pela Fixando, no qual participaram em torno de seis mil utilizadores.

De acordo com a mesma sondagem, cujo relatório foi enviado esta quarta-feira à comunicação social, 88% dos inquiridos que participaram em festas de aniversário fizeram-no em casa, 9% num parque/jardim público e apenas 3% num restaurante.

“Houve ainda um esforço em evitar reunir muitos amigos e familiares, com 18% dos inquiridos a celebrar o aniversário apenas com o seu agregado familiar e 16% a reduzir significativamente o número de convidados em relação aos anos anteriores”, é possível ler no mesmo documento.

Entre as razões invocadas pelos inquiridos estão, como seria de esperar, os riscos inerentes ao convívio social, tendo 54% afirmado que considera inseguras as festas de aniversário em espaços fechados, sendo que, quando realizadas no exterior, este número cai para 21%.

“Para fazer face a estes riscos, a utilização de máscara durante estes festejos é a medida que reúne maior aceitação, com 39% dos portugueses a considerar esta medida adequada e 30% a concordar com a testagem de todos os convidados”, é referido no relatório, no qual é sublinhado que, porém, “30% dos inquiridos pela Fixando acredita não ser necessária qualquer medida de proteção”.

No que diz respeito ao consumo, o estudo também reporta alterações nos hábitos dos portugueses: “Antes da pandemia, cada inquirido gastava, em média, 152€ na sua festa de aniversário, valor que caiu agora para os 96€”.

Ler Mais


Comentários
Loading...