Covid-19. Europa em “risco muito elevado”. ECDC recomenda vacina de reforço geral com prioridade para maiores de 40 anos

O Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) alertou esta quarta-feira para um “risco muito elevado” de Covid-19 nas próximas semanas, na Europa, e aconselhou a administração da vacina de reforço a todos os adultos, com prioridade para os maiores de 40 anos.

“Os países deveriam considerar uma dose de reforço para todos os adultos com mais de 18 anos, com prioridade para pessoas com mais de 40”, disse o ECDC em comunicado, citado pela Agência ‘Efe’.

Também a Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, reforçou este apelo do EDCD, através de uma publicação no Twitter, na qual apelou à vacinação sobretudo acima dos 40 anos.

A entidade sediada em Estocolmo destacou ainda, na mesma nota, que neste momento menos de 70% da população geral da União Europeia (UE) recebeu a o esquema vacinal completo, o que deixa “um grande espaço” para o vírus se espalhar.

O ECDC indicou que a rápida implementação das campanhas de vacinação “evitou mortes” e “reduziu as hospitalizações”, mas mesmo assim ainda existem grupos populacionais em que a proteção é “inferior ao desejado”.

Perante o inverno, a entidade alertou que haverá um maior número de internamentos de pessoas não vacinadas, principalmente grupos de risco, o que faz com que a atual taxa de vacinação seja “insuficiente” para evitar a sobrecarga dos sistemas de saúde.

“A Europa deve colmatar as lacunas de imunidade da população adulta e garantir uma cobertura eficaz e equitativa em todos os países e regiões”, apelou o ECDC, acrescentando que a vacinação dos mais vulneráveis ​​deve continuar a ser “a prioridade” das autoridades.

Em relação ao reforço da vacina, que é dada seis meses após a segunda injeção, a entidade explicou que o seu objetivo é “melhorar a proteção” e, assim, “reduzir a transmissão entre a população e evitar internamentos adicionais e mortes”.

No entanto, como o efeito das vacinas demora várias semanas para se tornar percetível, o ECDC observou que também é importante manter ou reintroduzir medidas não farmacológicas, como o uso de máscara e distâncias de segurança.

“Motivar as pessoas para o cumprimento destas medidas é ainda mais importante à medida que avançamos para o inverno e para as festas de fim de ano, quando mais pessoas viajam e se reúnem dentro de casa”, concluiu a entidade.

Ler Mais


Comentários
Loading...