Comissão Europeia quer ser líder mundial no combate a futuras pandemias: nova estratégia global de saúde é apresentada esta quarta-feira

A Comissão Europeia quer que os Estados-membros da UE desempenhem o mesmo papel decisivo que tiveram na resposta global à pandemia da Covid-19, replicando o papel de liderança da UE em futuros desafios de saúde, garantiu o site ‘EURACTIV’ – a saúde das pessoas, os sistemas de saúde e as ameaças à saúde estão no centro da nova comunicação da estratégia global de saúde da UE que o executivo quer divulgar esta quarta-feira.

“A principal mensagem desta estratégia é que a UE pretende reafirmar a sua responsabilidade e aprofundar a sua liderança no interesse dos mais elevados padrões de saúde atingíveis, com base em valores fundamentais, como a solidariedade e a equidade, e o respeito pelos direitos humanos”, escreveu a Comissão no rascunho. Com a pandemia da Covid-19, a ameaça emergente da resistência antimicrobiana e a guerra em curso no continente europeu, é necessáriio abordar “as mudanças significativas na saúde e na geopolítica globais” e “ reforçar a liderança da UE nesta área”, afirmou a Comissão.

A Comissão sublinhou a necessidade de adotar uma abordagem de ‘Team Europe’, uma referência ao pacote homónimo de 40 mil milhões de euros para apoiar os países parceiros na luta contra a pandemia e as suas consequências.

Para garantir um papel central, a Comissão está a concentrar-se em três “prioridades inter-relacionadas” até 2030, que são melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas, fortalecer os sistemas de saúde e promover a cobertura universal de saúde e combater as ameaças à saúde por meio da aplicação de uma estratégia única interdisciplinar.

Para abordar as duas primeiras prioridades, a Comissão apelou a um foco nas “causas profundas dos problemas de saúde, como a pobreza e as desigualdades sociais”, mas também nos novos motores da saúde que devem ser abordados de forma integrada. Isso inclui mudanças climáticas, degradação ambiental, crises humanitárias ou insegurança alimentar, agravadas por crises como a guerra na Ucrânia.

Na terceira prioridade – combater ameaças à saúde atuais e futuras – o executivo da UE quer alcançar maior equidade no acesso a vacinas e outras contramedidas, para uma vigilância de doenças mais eficaz em todo o mundo e para regras internacionais e mecanismos de cooperação em saúde mais fortes.

Ler Mais



loading...
Notícias relacionadas