Mais de metade dos jovens portugueses usa o telemóvel para estudar. Maioria admite distrações com redes sociais

A utilização de telemóveis como apoio ao estudo tem vindo a aumentar. Mas traz desafios. De acordo com um inquérito realizado pela Wiko empresa europeia de smartphones, 53% dos jovens portuguesas diz usar o telemóvel para estudar, embora só 40% o use para fazer os trabalhos de casa.

Dos jovens que usam o smartphone como apoio ao estudo, 72% admite distrair-se nas redes sociais enquanto estuda.

Atualmente, um smartphone já permite fazer quase tudo e existem inúmeras aplicações de estudo que podem ajudar os alunos a estudar, bem como a desenvolver exercícios e trabalhar os temas que necessitam.

Ecrãs generosos e boa capacidade de armazenamento fazem destes equipamentos bons parceiros de estudo, permitindo guardar apontamentos, pesquisar matérias e procurar novos conhecimentos mesmo em andamento.

Porém, utilizar o smartphone para estudar não vem sem alguns desafios e a maioria admite que se distrai, sendo mais fácil ir fazer scroll pelo mural do Instagram ou do Facebook, ou ver quem fez a publicação mais recente, quando o telemóvel já está na mão.

Existem, no entanto, algumas ferramentas do próprio smartphone que podem ajudar a não quebrar a concentração e a divir o tempo entre estudo e lazer: no bloco de notas, por exemplo, é possível apontar as matérias a estudar e dividi-las de forma a terem pausas para o descanso no meio, recomenda um comunicado da Wiko.

Outra dica da empresa é colocar o alarme, e, quando este tocar, ter a merecida pausa para as redes sociais ou outra atividade para descontrair e regressar ao estudo com mais ânimo.

Ler Mais


Comentários
Loading...