Euro NCAP lança nova classificação para tecnologias de condução assistida

Como explicado pela Euro NCAP, os fabricantes de veículos estão a utilizar cada vez mais um conjunto de sensores instalados nos seus automóveis para fornecer um apoio de condução mais amplo, abrindo o caminho para o automóvel autónomo.

Assim, os novos protocolos de avaliação centram-se em duas áreas principais: as competências de assistência à condução e as medidas que mantêm o condutor alerta.

Portanto, um novo sistema de classificação permite aos clientes compreender melhor que tipo de ajudas à condução tem um automóvel: entrada, moderada, boa e muito boa.

Por exemplo, o Mercedes-Benz GLE, o BMW Série 3 e o Audi Q8 obtiveram a classificação mais elevada, conseguindo um bom equilíbrio entre a oferta de um elevado nível de assistência à condução, mantendo o compromisso e o controlo do volante.

Por seu lado, os Renault Clio e Peugeot 2008 obtiveram uma classificação de “Entrada” uma vez que, sem a sofisticação dos sistemas mais avançados, fornecem um nível relativamente “modesto” de assistência, que assegura que o condutor não se desliga das suas responsabilidades ao volante.

Outros modelos tais como o Volkswagen Passat, Nissan Juke, Volvo V60 e Tesla Model 3 foram classificados pela Euro NCAP com um nível de assistência “Moderado”. No caso do Tesla, regista os máximos para as tecnologias que utiliza, “mas o seu sistema de ‘piloto automático’ pouco faz para manter o condutor ocupado ao volante. O Ford Kuga foi classificado como ‘Bom’ nesta classificação.

“Os resultados desta ronda de testes mostram que a assistência ao condutor está a tornar-se cada vez melhor e mais disponível, mas até que a supervisão do condutor seja significativamente melhorada, o condutor deve permanecer sempre responsável”, salientou o Secretário-Geral da Euro NCAP Michiel van Ratingen.



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...