Covid-19: Merkel quer alterar a lei de combate às infeções para ser a protagonista na luta contra o vírus

Angela Merkel quer avançar com a revisão e alteração da Lei da Proteção contra as Infeções, que estipula ser responsabilidade dos Länder (Estados federados) decretar a maior parte das medidas mais restritivas de combate aos vírus, para centralizar esse poder na chanceler. Assim, esta passaria a poder decretar medidas de confinamento, após consultar os 16 líderes regionais, conforme noticia a imprensa alemã.

Paralelamente, Norbert Röttgen, especialista em política externa da CDU e ex-candidato à liderança do partido de Merkel, juntamente com os parlamentares Johann Wadephul e Yvonne Magwas, propõe uma emenda à norma que obrigue os Estados federados a decretar medidas mais apertadas de confinamento, sempre que a taxa de incidência for “preocupante”, refere a revista Der Spiegel.

Ontem, a porta-voz do Executivo do país, Ulrike Demmer, avisou que a chanceler acredita que devem impor-se medidas mais apertadas de confinamento em toda a Alemanha “para conter as taxas de incidência do vírus que estão a crescer muito”.

“Enquanto alguns Länder  impuseram restrições como recolher obrigatório durante a Páscoa, outros foram mais brandos. Não podemos depender de medidas regionais, temos de uniformizar as restrições se queremos uma descida do número de casos”, acrescentou a porta-voz.

“Precisamos de uma taxa de incidência abaixo de 100 por cada 100.000 habitantes”, frisou Demmer, comparando este valor com os 110,1 divulgados ontem pelo Instituto para as alergias e doenças infeciosas, o Robert Koch.

A maioria dos 16 líderes dos Estados federados da Alemanha tem sido contra o aumento de restrições como forma de conter a covid-19 no país. De tal modo que grande parte não gostou que fossem antecipadas as negociações sobre as novas medidas de confinamento, agendadas para 12 de abril, como lembra o Blitz Zeitung.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...