Versátil, barato e saudável: O alimento que não pode faltar na sua despensa, segundo a Universidade de Harvard

Os vegetais e as leguminosas estão entre os alimentos mais saudáveis que podemos consumir, é certo. Mas agora o último grupo alimentar, que inclui produtos como as lentilhas, o feijão, o grão, a soja, a ervilha ou o tremoço, é apontado pela prestigiada Universidade de Harvard como essencial em qualquer dispensa.

Os médicos e especialistas em Bem-estar e Nutrição Monique Tello e Rano Polak, ambos de Harvard, defendem num artigo científico que as leguminosas “são incrivelmente nutritivas, ricas em proteínas e fibra, baixas em gordura e com baixo índice glicémico”.

Os investigadores sublinham ainda que uma alimentação “rica em leguminosas está diretamente relacionada com um menor risco de desenvolvimento de obesidade, pressão arterial alta, altos níveis de colesterol, diabetes, doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais (AVCs).

Benefícios estudados em várias investigações
O artigo cita três estudos. Num, que contou com mais de 100 participantes com diabetes tipo 2, foi consumida diariamente uma chávena de leguminosas durante três meses. No final, os participantes viram diminuir o peso, o perímetro da cintura, os níveis de açúcar no sangue o colesterol e a pressão arterial, de forma significativa.

Num outro estudo citado, com 550 participantes que sofriam de vários problemas médicos, uma chávena diária de leguminosas foi consumida por casa um dos envolvidos durante dez semanas. O que se verificou foi uma redução da pressão arterial, em média, de 2,25 pontos. No último estudo referido pelos investigadores de Harvard, o consumo de legumes todos os dias durante três semanas, estudado em 250 pessoas, resultou numa redução média de 8 pontos de colesterol LDL, conhecido como o ‘colesterol mau’. Os especialistas realçam que a diminuição verificada é superior à observada em doentes que tomam comprimidos para baixar os níveis de colesterol.

‘Feijões milagrosos’?: Ciência explica o porquê dos benefícios
Mas o que têm na sua composição os feijões, lentilhas ou grão-de-bico, para que sejam tão apreciados e “essenciais” em qualquer despensa? Os investigadores de Harvard apontam que os benefícios do consumo de leguminosas residem no alto conteúdo de fibras solúveis nestes alimentos.
Estas fibras retardam a absorção de alimentos no intestino delgado e ‘prende’ determinadas moléculas relacionadas com o aumento dos níveis de colesterol mai. É por isso que as leguminosas apresentam baixo índice glicémico, ou seja, traduz-se em níveis (ou ‘picos’) de açúcar no sangue mais baixos e, consequentemente menos insulina libertada após o seu consumo.

Da mesma forma, outras propriedades destes alimentos realçadas pelos cientistas são: a alta percentagem de proteínas de alta qualidade que os compõem, a quantidade de minerais, como o potássio, o magnésio e vitaminas (B1, B3, B6 e ácido fólico), a grande variedade de compostos fenólicos (antioxidantes) fornecida e as poucas gorduras que compõem as leguminosas.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.