Trump terá ‘apoiado’ pretensão dos invasores do Capitólio em enforcar Mike Pence, aponta comissão do Senado

A comissão da Câmara dos Representantes que investiga os acontecimentos de 6 de janeiro no Capitólio ouviu depoimentos que indicam que o então presidente Donald Trump, depois de os manifestantes começarem a gritar ‘Enforque-se Mike Pence’, expressou apoio à ‘sugestão’ de enforcamento do seu vice-presidente, segundo avançou o jornal ‘POLITICO’.

O chefe de gabinete da Casa Branca na época, Mark Meadows, estava na sala de jantar do Salão Oval com Donald Trump durante o ataque ao Capitólio em 2021, segundo revelou a comissão. Meadows então deixou a sala de jantar e informou outras pessoas próximas que Trump havia sinalizado uma visão positiva da perspetiva de enforcar o vice-presidente.

Os cânticos foram uma reação à decisão de Mike Pence de aceitar os votos eleitorais que indicavam que Joe Biden havia conquistado a presidência.

O porta-voz de Trump, Taylor Budowich, já reagiu: “As informações vagas desta comissão partidário, o testemunho anónimo e a disposição de alterar as provas provam que é apenas uma extensão da campanha de difamação democrata que foi exposta repetidas vezes por ser fabricada e desonesta”, atacou. “Os americanos estão cansados ​​das mentiras dos democratas, mas, infelizmente, é a única coisa que eles têm a oferecer.”

Donald Trump não falou com Pence durante o tumulto, com o vice-presidente a ser levado pelos Serviços Secretos para um local seguro sob a praça do Capitólio. A última ligação ocorreu às 11h20 daquela manhã, quando Trump pediu a Pence que recusasse contar os eleitores de Biden, pretensão recusada pelo vice-presidente. O antigo presidente americano utilizou depois, às 14h24, a rede social Twitter para expressar publicamente a sua indignação com Pence. “Mike Pence não teve coragem de fazer o que deveria ter sido feito para proteger o nosso país e a nossa Constituição”, escreveu.



Comentários
Loading...