Trabalhadores da CP entram em greve ao trabalho extraordinário e feriados a partir de 3 de junho

Os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal vão estar em greve ao trabalho extraordinário e nos feriados, a partir de 3 de junho, uma paralisação que poderá provocar atrasos e supressões de comboios e que visa reivindicar aumentos salariais e melhoria das condições de trabalho dos funcionários da CP.

“Depois de demonstrarem uma forte união na greve do passado dia 16 de maio, os ferroviários regressam à luta, no próximo dia 3 de junho, pela melhoria dos seus salários e das profissões, pela defesa dos seus direitos, pela melhoria das condições de trabalho”, avançou esta segunda-feira a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans).

Segundo a estrutura sindical, já foi entregue um pré-aviso de greve, no qual foi decretadoa uma paralisação a todo o trabalho extraordinário; ao trabalho em dia feriado; ao trabalho em dia de descanso semanal; ao trabalho com falta de repouso nos termos do acordo de empresa; e também a partir da oitava hora de serviço. “O que o governo/administração quer é impor uma redução do salário real de todos os trabalhadores, impondo e de forma discriminada 0,9%, depois de em 13 anos apenas ter havido aumento e ajuste dos salários em 2018 e 2020 e num ano em que a inação disparou brutalmente”, pôde ler-se no comunicado.

A dia 7 de junho, segundo a Fectrans, os trabalhadores da CP vão realizar uma ação de rua, com a entrega de um documento na residência do primeiro-ministro que visa “lembrar o Governo as declarações do ministro da tutela, a 21 de setembro do ano passado, que declarou que os ferroviários têm razão”. Mas, depois disto, o que “todos os trabalhadores viram foi uma proposta de 0,9%, quando estamos confrontados com uma inflação de 7,2%”.



Comentários
Loading...