TAP admite falhas no serviço prestado e diz que a situação “não deverá melhorar nas próximas semanas”

A CEO da TAP, Christine Ourmières-Widener, assinou esta segunda-feira uma mensagem publicada na página de Facebook da empresa, onde admite que a transportadora não está a oferecer um “serviço de excelência”, assumindo que a situação “não deverá melhorar nas próximas semanas”.

“Os últimos dois anos foram muito difíceis para todos nós, sobretudo para o setor da aviação comercial, extremamente penalizado devido à pandemia. Todos os colaboradores da TAP Air Portugal têm trabalhado resiliente e consistentemente na reconstrução da companhia e em ganhar novamente a sua confiança”, começa por referir.

A responsável adianta que “este fim de semana não foi fácil para a TAP devido a constrangimentos vários. Só com o empenho e esforço das equipas, tanto de terra como do ar, foi possível prestar o melhor serviço possível aos nossos passageiros, levá-los ao destino e normalizar a operação. O nosso muito obrigado a todos”.

“Ainda que as restrições à mobilidade de passageiros tenham sido levantadas na sua maioria, o transporte aéreo, bem como a respetiva estrutura e serviços complementares, enfrenta uma séria limitação de recursos a nível global, num momento em que as operações de voo passaram praticamente do zero para cerca de 90% dos níveis pré-pandemia”, alerta.

Desta forma, a CEO reconhece que “não estamos a oferecer o serviço de excelência que planeámos e que queremos que experiencie connosco, face à crise que o transporte aéreo atravessa e que, de acordo com as previsões mais recentes, não deverá melhorar nas próximas semanas, fruto do aumento regular das viagens de lazer e de negócios. Por tudo isto, apresentamos-lhe as nossas mais sinceras desculpas”.

“Garantimos que a TAP e todas as nossas equipas estão empenhadas, neste momento, em minimizar ao máximo todo e qualquer inconveniente que possa surgir durante a sua jornada connosco, esperando contar com um transporte aéreo mais robusto, funcional e articulado no verão de 2023”, sublinha.

Christine Ourmières-Widener garante ainda estar “a fazer o nosso melhor para voltar a proporcionar-lhe a qualidade, a pontualidade e a confiança que merece e que certamente terá da TAP Air Portugal, o mais rapidamente possível”.

Em causa estão dezenas de voos que têm sido cancelados nos últimos dias, devido a uma crise no setor da aviação, em Portugal e também em toda a Europa.

Há mais de 30 voos cancelados esta segunda-feira no aeroporto de Lisboa, registando-se ainda constrangimentos no Porto, que também tem cancelado vários voos nas últimas horas.

Os problemas observados em Lisboa estão a ser vividos em vários aeroportos nos Estados Unidos e na Europa.

Na origem destas situações estão falta de pessoal, greves e outros fatores externos agravantes, nomeadamente climáticos, relacionados com a covid-19 ou com imprevistos, como é o caso do rebentamento do pneu de um jato particular que encerrou por algumas horas a pista do aeroporto de Lisboa, na tarde da passada sexta-feira.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.