Sem mudanças há mais de três meses: Portugal continua todo a ‘vermelho escuro’ no mapa europeu da Covid-19

Portugal continua em ‘risco muito elevado’ nos mapas do Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) sobre decisões de viagens na União Europeia (UE), onde todo o país está pintado a vermelho escuro, há mais de três meses.

Em causa estão os mapas do ECDC de indicadores combinados, abrangendo as taxas de notificação de casos de covid-19 nos últimos 14 dias, o número de testes realizados e o total de positivos, que são atualizados semanalmente, todas as quintas.

Depois de uma semana em que a região Norte registou uma melhoria e passou para o ‘laranja’, um nível menos grave de risco, voltou a piorar e a estar pintada de vermelho escuro, em conjunto com todas as outras regiões. Desde essa altura que o cenário se repete, sem sinais de melhoria.

A última vez que houve uma região a amarelo foi a 24 de março, quando o Norte aclarou e registou uma melhoria. Já lá vão mais de três meses.

No resto da Europa a situação é também de algum agravamento, apesar de nem todas as regiões terem a sua incidência disponível no mapa do ECDC. Ainda assim, das que têm, a maioria está nos dois níveis mais graves de risco: laranja e vermelho escuro. Só há uma região a verde: Maiote, em França, tal como na semana passada.

Estes mapas da agência europeia seguem um sistema de semáforos sobre a propagação da covid-19 na UE, a começar no verde, passando pelo amarelo, laranja e vermelho escuro.

O vermelho escuro é o nível máximo de risco e diz respeito a territórios com taxa cumulativa de notificação de casos de infeção nos últimos 14 dias superior a 300 casos por 100 mil habitantes.

Já o laranja é o segundo nível máximo de risco e diz respeito a territórios com taxa cumulativa de notificação de infeção nos últimos 14 dias entre 100 e 300 casos por 100 mil habitantes.

O amarelo corresponde taxa cumulativa de notificação de infeção nos últimos 14 dias entre 40 e 100 casos por 100 mil habitantes. E o verde, o menos grave diz respeito a menos de 40 casos por 100 mil habitantes.

Os mapas servem de auxílio aos Estados-membros sobre as restrições a aplicar às viagens no espaço comunitário. Em meados de junho, o Conselho da UE adotou uma recomendação para abordagem coordenada nas viagens, propondo que vacinados e recuperados da covid-19 não sejam submetidos a medidas restritivas como quarentenas ou testes.

Ler Mais


Comentários
Loading...