Saúde cardíaca após os 50. Especialistas respondem às principais questões

As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morte dos homens e mulheres com mais de 50 anos. Todos os anos milhares de pessoas sofrem com estes problemas. Muitas outras procuram perceber de que forma podem diminuir os riscos de surgimento de complicações relacionadas com a função cardiovascular.

Felizmente, independentemente da idade, todos podemos assumir algumas mudanças comportamentais que ajudam neste processo. Certas decisões podem influenciar positivamente a nossa condição de saúde. No entanto pode ser difícil perceber exatamente quais são os mitos e as verdades associados à proteção da saúde cardiovascular.

Assim a associação americana AARP, recolheu recentemente um conjunto de respostas de especialistas a algumas das questões mais comuns associadas à saúde cardiovascular. Eis algumas das principais conclusões.

 

A maior parte dos meus familiares morreu com problemas cardíacos. Estou condenado?

Não, não está. De acordo com a cardiologista Jennifer H. Mieres da Hofstra University, é verdade que “ninguém pode mudar os genes, mas todos podemos mudar o nosso estilo de vida”. Depois dos 50, é essencial que marque uma consulta no médico para perceber como está a sua situação cardiovascular. No final deverá compreender melhor quais os passos que deve tomar para melhorar alguns dos problemas que porventura se possam estar a começar a manifestar.

É certo que, dependendo do seu historial familiar deve estar mais atento a alguns sinais, mas na maioria dos casos serão as alterações comportamentais positivas o fator mais determinante.

Devo comer menos carne vermelha?

É recomendado, sim. Os estudos parecem indicar que um consumo elevado de carne vermelha está muitas vezes associado a um incremento nos níveis de produção de algumas bactérias que podem prejudicar o bem-estar do seu coração.

Definir, pelo menos, um dia da semana em que não consome carne é um bom primeiro passo.

Fico com falta de ar sempre que subo umas escadas. Tenho um problema cardíaco?

Se isto acontecer apenas durante períodos em que está a fazer exercício físico, então provavelmente significa que está apenas em baixo de forma. Caso isto aconteça de uma forma constante ao longo da sua rotina diária então pode significar algo mais grave.

Agora que entrei na menopausa o meu risco de doença cardíaca aumenta?

Sim. O estrogênio é conhecido por proteger o coração ao auxiliar a pressão arterial, os níveis de colesterol e por manter as artérias “flexíveis”. Esta é uma das razões que determina que se verifique nas mulheres um súbito incremento de problemas cardíacos dez anos após o início da menopausa.

Devo tomar uma aspirina todos os dias?

A American College of Cardiology recomenda que as pessoas com idades entre os 40-70 anos que tenham maior risco de ataque cardíaco, tomem diariamente uma dose ligeira de aspirina. Os diabéticos devem igualmente seguir esta recomendação. No entanto, caso o paciente não tenha diagnosticado um risco elevado ou moderado de ataque cardíaco, então para estes casos não está provado que a aspirina possa ter aqui algum tipo de benefício.

Tenho uma disfunção eréctil. Este pode ser um sinal de doença cardíaca?

Antes de iniciar a toma de Cialis deve sempre primeiro confirmar se tudo se encontra bem com o seu coração. É certo que existem muitos fatores que podem estar na origem e relacionados com a disfunção eréctil. No entanto, um estudo de 2018 publicado no Circulation descobriu evidencias que comprovam que os homens que sofrem com esta condição médica têm igualmente um maior risco de desenvolver diabetes tipo 2 e problemas cardíacos.



Notícias relacionadas
Comentários
Loading...