Rússia vai suspender fornecimento de eletricidade à Finlândia já a partir deste sábado

A Rússia vai suspender o fornecimento de eletricidade para a Finlândia a partir da 1 hora deste sábado, segundo garantiu esta sexta-feira o fornecedor RAO Nordic, conforme aumentam as tensões entre dois países devido à entrada de Helsínquia na NATO durante a invasão militar de Moscovo à Ucrânia.

“Somos forçados a suspender a importação de eletricidade a partir de 14 de maio”, apontou a RAO Nordic Oy, subsidiária da estatal russa de energia InterRAO, devido a contas não pagas. A RAO Nordic Oy, com sede em Helsínquia, não recebe pagamento pela eletricidade fornecida à Finlândia desde 6 de maio, segundo garantiu o grupo, em comunicado, citando a falta de fundos. “Esta situação é excecional e aconteceu pela primeira vez em mais de 20 anos de nossa história comercial.”

No entanto, a Finlândia está preparada para enfrentar a cessação das importações de eletricidade da Rússia, segundo avançou a operadora de rede elétrica finlandesa, Fingrid, num comunicado esta 6ª feira. O fornecimento “não está ameaçado”, frisou. O motivo alegado são as dificuldades em receber os pagamentos estipulados, embora a empresa tenha informado que o fornecimento seria retomado assim que os referidos “problemas” fossem “resolvidos”.

A eletricidade importada da Rússia representou recentemente 10% do total consumido na Finlândia, apontou Fingrid. “As importações que faltam podem ser substituídas no mercado de eletricidade importando mais eletricidade da Suécia e também parcialmente através de produção doméstica”, garantiu o vice-presidente de operações da Fingrid, Reima Päivinen, que destacou que a produção eólica na Finlândia está a aumentar a cada ano e o país nórdico deve ser autossuficiente em 2023.

O Governo finlandês garantiu também que a segurança do abastecimento de gás natural para a indústria e habitações também está garantida caso a Rússia corte o fluxo como fez com a Polónia e a Bulgária – o gás natural representa apenas 5% do consumo de energia do país, embora praticamente 100% seja proveniente da Rússia.



Comentários
Loading...