“Quem assistiu ao julgamento já sabia que hoje estaria aliviado.” Rui Moreira absolvido no caso Selminho por falta de prova

Rui Moreira foi absolvido do caso Selminho e não perde assim o mandato na Câmara Municipal do Porto. O presidente da Câmara do Porto estava acusado de prevaricação, por suspeitas de ter favorecido a imobiliária Selminho, da sua família e da qual era sócio, em prejuízo do município, na resolução de um litígio judicial que opunha a autarquia à imobiliária, que por vez pretendia construir um edifício de apartamentos num terreno na Calçada da Arrábida.

“Não tinha dúvidas de que um dia este desfecho viria. Gostava que tivesse decorrido mais cedo, pelos vistos o Ministério Público ainda não se conforma, mas faremos uma declaração logo”, observou o autarca, à margem da leitura do acórdão.

O Ministério Público já anunciou que vai pedir recurso da sentença do Tribunal de São João Novo, no Porto. Recorde-se que o O Ministério Público havia pedido a sua condenação a uma pena suspensa e a consequente perda de mandato.

“Já nada me surpreende, é um processo normal”, explicou o líder camarário da Invicta, à saída do tribunal. “Como vocês viram, assistiram ao julgamento, foram sessões públicas, com muita dignidade. Quem assistiu ao julgamento já calculava que hoje ficaria aliviado porque temos confiança na justiça”, frisou Rui Moreira.

Segundo o acórdão lido esta sexta-feira, não ficou provado que Rui Moreira tenha influenciado o advogado da autarquia para fazer o acordo com a imobiliária. As testemunhas no processo também disseram que não foram influenciadas ou contactadas pelo autarca para favorecer a empresa ou para alterar conteúdo do acordo. De acordo com a presidente do coletivo de juízes, Ângela Reguengo, o tribunal ficou convencido que os funcionários assumiram que os termos do acordo eram o melhor para a Câmara Municipal do Porto.

(em atualização)

Ler Mais


Comentários
Loading...