Ómicron: dose de reforço da Janssen é 85% eficaz contra hospitalização, aponta estudo

Uma dose de reforço da vacina Johnson & Johnson COVID-19 é 85% eficaz na proteção contra hospitalização pela nova variante Ómicron por 1-2 meses após a injeção, segundo revelou Glenda Gray, chefe do Conselho de Pesquisa Médica da África do Sul (SAMRC) esta sexta-feira. “Vimos uma eficácia da vacina de 85% e vimos que esse tipo de eficácia da vacina é mantida em até dois meses”, apontou. “Estamos muito felizes em relatar níveis muito altos de eficácia da vacina contra a Ómicron”.

O estudo envolveu 477.234 profissionais de saúde, todos vacinados com a injeção de J&J, dos quais 236 mil – aproximadamente metade – receberam a injeção de reforço da Janssen. Depois, foram analisadas as hospitalizações entre os profissionais de saúde que foram infetados durante a quarta onda e descobriu que a injeção de reforço reduziu as hospitalizações em 63% nas primeiras duas semanas após o reforço, subindo para 85% depois disso, pelo período de 2 meses.

Esta é a primeira evidência mundial da eficácia da vacina (contra a Ómicron) da vacina J&J”, lembrou Gray. Até agora, as autoridades sul-africanas mantiveram a preferência pela vacina da Pfizer – administraram 21 milhões de doses, três vezes mais do que cerca de 7 milhões de doses da vacina J&J.

Mas a injeção de J&J é considerada logisticamente preferível porque é um regime de dose única, que é mais fácil de administrar em áreas rurais remotas, onde o acompanhamento pode ser difícil.

O estudo também destacou que os infetados pelo HIV eram mais vulneráveis ​​a serem internados pela Ómicron. A prevalência do HIV na África do Sul é de cerca de 13%.



Comentários
Loading...