Moção de censura do Chega ao Governo: BE e PCP contra, PSD e IL vão abster-se

A moção de censura ao Governo apresentada pelo Chega vai a debate esta quarta-feira na Assembleia da República mas está condenada ao fracasso, depois de Bloco de Esquerda e PCP terem anunciado a intenção de votar contra, assim como a natural ‘nega’ do bloco socialista no Parlamento. Já a Iniciativa Liberal e o PSD informaram que vão abster-se.

De acordo com o Regimento, o debate é aberto e encerrado pelo primeiro dos signatários da moção e o primeiro-ministro tem o direito de intervir imediatamente após e antes destas intervenções dos proponentes. Encerrado o debate, se requerido por qualquer grupo parlamentar, procede-se à votação. “A moção de censura só se considera aprovada quando tiver obtido os votos da maioria absoluta dos Deputados em efetividade de funções. Se a moção de censura não for aprovada, os seus signatários não poderão apresentar outra durante a mesma sessão legislativa”, refere ainda o texto. A aprovação de uma moção de censura tem como consequência a demissão do Governo, cenário que não se coloca neste caso.

Bloco Esquerda

O BE vai votar contra a moção de censura ao Governo apresentada pelo Chega, adiantou fonte oficial bloquista à agência Lusa. No domingo, no final da Mesa Nacional do BE, a líder bloquista, Catarina Martins, tinha sido questionada pelos jornalistas sobre esta moção de censura, afirmando que “as críticas que o Bloco de Esquerda faz ao Governo não se confundem em nada com as estratégias mais ou menos oportunistas do Chega”.

PCP

O Grupo Parlamentar do PCP vai votar contra a moção de censura apresentada pelo Chega, por considerar que a iniciativa da bancada de extrema-direita “não propõe soluções” para os problemas do país. Os comunistas desmarcaram-se da iniciativa apresentada pelo partido de André Ventura. “O Chega utiliza problemas reais não com o objetivo de dar resposta aos trabalhadores e às populações, mas com projetos e políticas que só contribuem para os agravar. O PCP não contribuirá para essa manobra, por isso, votará contra a moção de censura”, sustentou o PCP, que vai manter a abordagem: exigir ao Governo de António Costa que “concretize as soluções que são necessárias” para fazer face ao aumento do custo de vida – na ótica do PCP com salários e pensões adequados à inflação e o controlo de preços.

Iniciativa Liberal

O líder parlamentar da Iniciativa Liberal anunciou que o partido se vai abster na votação da moção de censura ao Governo. “Amanhã iremos abster-nos. Há uma grande diferença entre a IL e o Chega, bem patente nesta moção de censura”, afirmou Rodrigo Saraiva, no Parlamento.

PSD

O PSD também anunciou que irá abster-se na votação da moção de censura. Em comunicado, informou que a deliberação foi tomada “hoje pela Comissão Permanente Nacional do PSD e remetida à direção do Grupo Parlamentar do PSD”. “Informa-se que a bancada do PSD se irá abster na votação da moção de censura que será discutida esta quarta-feira”, referiu a nota à imprensa.

Ler Mais


Comentários
Loading...