Mesa de Natal em risco? Produtores avisam que podem faltar ovos em dezembro

Muitos dos típicos doces de Natal da gastronomia portuguesa (e da doçaria nacional em geral) têm um ingrediente em comum que, especialmente em dezembro, é muito procurado por famílias e empresas: o ovo. Mas, este ano, a lampreia de ovos, a aletria, as rabanadas ou até mesmo o bolo-rei, podem estar em risco de não chegar à consoada de muitos portugueses, isto porque, segundo os produtores nacionais, a produção de ovos nacional não deverá ser suficiente para responder à procura.

Responsáveis do setor relatam que a produção de ovos em Portugal caiu no último ano, em grande parte devido à inflação, que aumentou exponencialmente os custos de produção. Também a crise dos cereais, originada pela guerra na Ucrânia, contribuiu para esta situação, já que os cereais essenciais para alimentar as galinhas fizeram disparar os custos nos aviários.

“Há realmente alguma pressão da parte da produção, para que os ovos continuem a subir, porque a procura é muito superior à oferta”, relata à TVI Manuel Sobreiro, presidente do Grupo CAC – Companhia Avícola do Centro, um dos maiores produtores nacionais de ovos.

O responsável adianta que, como os preços subiram já nos supermercados, para refletir o aumento dos custos de produção, “não é expectável que os ovos voltem a aumentar de preço até final do ano”.

Manuel Sobreiro garante que “é muito provável” que os produtores não consigam responder a toda a procura habitual no mês de dezembro. Importar de Espanha, como até era habitual por vezes, está fora de questão, já que os preços mais altos dos ovos no país vizinho não justificam.

“Não há onde importar, porque esta falta de produção que existe é em toda a Europa, não é só Portugal. Em toda a Europa, há menos 10% de produção do que aquilo que era habitual. Vai haver ovos, mas não vai haver os ovos que se precisava habitualmente no Natal”, termina o responsável.

Ler Mais



loading...
Notícias relacionadas