Líder da Volkswagen prevê perda de 30 mil empregos com passagem para veículos elétricos

O CEO da Volkswagen, Herbert Diess, sugeriu que a empresa alemã podia perder até 30 mil postos de trabalho se fizer uma transição muito lenta para os veículos elétricos, de acordo com o noticiado pela agência Reuters esta quarta-feira. Durante uma reunião do conselho fiscal, em setembro último, o responsável garantiu que a competição de novas marcas no mercado alemão, como a Tesla, levou a empresa a acelerar a sua transformação.

O fabricante americano planeia produzir meio milhão de carros por ano na Alemanha, com 12 mil funcionários, enquanto os 25 mil da Volkswagen produzem apenas 700 mil na fábrica de Wolfsburgo. “Não há dúvida de que temos de lidar com a competitividade de nossa fábrica em Wolfsburgo tendo em vista os novos participantes no mercado”, referiu o porta-voz da Volkswagen, Michael Manske, apontando para a Tesla e as novas marcas chinesas no mercado europeu.

“A Tesla está a estabelecer novos padrões de produtividade e escala em Grunheide”, comentou sobre a fábrica da Tesla perto de Berlim, que poderá produzir entre 5 e 10 mil carros por semana – o dobro do veículo elétrico alemão em 2020.

Os veículos elétricos têm muito menos peças do que um carro com motor de combustão interna e, portanto, exigem menos trabalhadores. De acordo com uma estimativa recente, 100.000 empregos na indústria automobilística alemã podem ser perdidos até 2025 como resultado da eletrificação.

A fábrica da Volkswagen em Wolfsburgo, a maior do Mundo com mais de 50.000 funcionários, atualmente não fabrica veículos elétricos mas a empresa planeia lançar a produção, em 2026, do ‘Projeto Trinity’.



Comentários
Loading...