Legislativas: Eleitores no estrangeiro podem votar antecipadamente a partir desta terça-feira

Quem está recenseado em Portugal mas encontra-se deslocado no estrangeiro por motivos profissionais, escolares ou de saúde, pode votar antecipadamente a partir desta terça-feira, dia 18 de janeiro e até quinta-feira, dia 20.

Caso se se encontre nesta situação e queira exercer o seu direito de voto, basta dirigir-se às representações diplomáticas, consulares ou delegações externas do Ministério dos Negócios Estrangeiros do local onde estiver.

No momento da votação, deve apresentar o cartão de cidadão, bilhete de identidade ou outro documento identificativo, como carta de condução ou passaporte, e indicar a sua freguesia de inscrição no recenseamento eleitoral.

O Governo explica em comunicado que “este modelo de votação destina-se aos eleitores que se encontrem deslocados” no estrangeiro, por “inerência do exercício de funções públicas ou privadas, em representação oficial de seleção nacional, organizada por federação desportiva dotada de estatuto de utilidade pública desportiva”.

Mas também “enquanto estudante, investigador, docente e bolseiro de investigação em instituição de ensino superior, unidade de investigação ou equiparada reconhecida pelo ministério competente, doente em tratamento”, acrescenta a nota.

A antecipação aplica-se também aos “eleitores que acompanhem ou vivam com os eleitores” deslocados e enquadrados nas condições mencionadas.

Para além disso, segundo os prazos estipulados para estas eleições, os eleitores que se encontrem internados no hospital, ou presos, podem exercer o direito de voto antecipado desde ontem e até 20 de janeiro.

O período arranca depois destes grupos terem feito o pedido até dia 10. No total, inscreveram-se para o voto antecipado 3.405 presos e doentes internados, de acordo com os últimos dados.

Já os eleitores em mobilidade podem inscrever-se até 20 de janeiro. O voto em mobilidade acontecerá sete dias antes das eleições, ou seja, no dia 23 de janeiro.

Quem ficar em confinamento obrigatório, pode inscrever-se para votar a partir de dia 20 de janeiro e até dia 23, prazo esse que também se aplica a cidadãos internados em lares e instituições similares.

Nestes dois casos, entre 25 e 26 de janeiro, o presidente da câmara municipal ou o seu representante irá deslocar-se ao local onde está o eleitor para entregar e recolher o boletim de voto.

Mais de 10 milhões de eleitores residentes em Portugal e no estrangeiro são chamados a votar nas eleições legislativas de dia 30, para escolher 230 deputados.

Ler Mais


Comentários
Loading...