Legislativas: Cidadãos internados ou presos podem votar antecipadamente a partir de hoje

Arranca esta segunda-feira, dia 17 de janeiro, o prazo para que os eleitores que se encontrem internados no hospital, ou presos, possam exercer o direito de voto antecipado nas legislativas de 30 de janeiro.

“Entre 17 e 20 de janeiro, o presidente da câmara municipal ou o seu representante irá deslocar-se ao local onde está o eleitor (preso ou internado) para entregar e recolher o boletim de voto”, lê-se num esclarecimento publicado no portal ‘eportugal’.

O período arranca depois destes grupos terem feito o pedido até dia 10. No total, inscreveram-se para o voto antecipado 3.405 presos e doentes internados, de acordo com os últimos dados.

Para além disso, segundo os prazos definidos para estas eleições, os eleitores em mobilidade podem inscrever-se entre 16 e 20 de janeiro. O voto em mobilidade acontecerá sete dias antes das eleições, ou seja, no dia 23 de janeiro.

Já quem ficar em confinamento obrigatório, pode inscrever-se para votar a partir de dia 20 de janeiro e até dia 23, prazo esse que também se aplica a cidadãos internados em lares e instituições similares.

Nestes dois casos, entre 25 e 26 de janeiro, o presidente da câmara municipal ou o seu representante irá deslocar-se ao local onde está o eleitor para entregar e recolher o boletim de voto.

Por sua vez, quem está recenseado em Portugal, mas encontra-se deslocado no estrangeiro por motivos profissionais, escolares ou de saúde, pode votar antecipadamente entre 18 e 20 de janeiro. Basta dirigir-se às representações diplomáticas, consulares ou delegações externas do Ministério dos Negócios Estrangeiros do local onde estiver.

Mais de 10 milhões de eleitores residentes em Portugal e no estrangeiro são chamados a votar nas eleições legislativas de dia 30, para escolher 230 deputados.

Ler Mais


Comentários
Loading...