Intranasal ou intramuscular: Há mais de 300 vacinas contra a covid-19 em desenvolvimento no mundo

A ONU revelou, em 19 de novembro último, que existem atualmente 132 vacinas contra a Covid-19 em desenvolvimento clínico e 194 vacinas em desenvolvimento pré-clínico. Considera-se que o desenvolvimento pré-clínico o período em que todas as provas científicas de uma vacina são recolhidos em laboratório, tanto em modelos in vitro como em testes animais. Já a fase clínica é alcançada pelas vacinas cujos resultados pré-clínicos apoiam o teste em pessoas, primeiro em pequenos grupos para avaliar a segurança e em seguida em grupos mais extensos para confirmar essa segurança e testar a sua eficácia.

De entre o universo de vacinas contra a Covid-19 em desenvolvimento, apenas 10 já alcançaram a fase 3 ou 4 do estudo clínico. Ou seja, apenas 10 vacinas mostraram-se seguras e eficazes, tendo sido já comercializadas globalmente e que podem agora ser avaliadas pelos seus efeitos a longo prazo.

Olhando especificamente para a Europa, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) só autorizou o uso de quatro. O motivo pelo qual nem todas as vacinas que demonstraram eficácia e segurança terem sido aprovadas pela EMA é que cada agência possui regulamentos e critérios diferentes. É por isso que há momentos em que a FDA (Food and Drug Administration), dos Estados Unidos, e a EMA aprova medicamentos independentemente uma da outra.

No que toca a outras vacinas que estão a ser utilizadas em outras regiões do mundo, como a chinesa, a russa ou mesmo cubana, a realidade é que os dados ainda não são tão sólidos quanto os fornecidos pelas vacinas aprovadas na UE e portanto são necessárias mais informações para avaliá-los.

É importante observar que das 132 vacinas em desenvolvimento clínico e as 194 na fase pré-clínica, a grande maioria utiliza uma única proteína viral, a proteína spike, como imunógeno, o que significa que todos usam o mesmo fragmento do vírus para apresentá-lo ao sistema imunológico e induzir uma resposta contra o vírus. Na prática, quase todas essas vacinas são muito semelhantes, pois utilizam como retrato do robô do vírus a mesma região do pico que é capaz de promover uma poderosa resposta imune protetora. A diferença entre as vacinas incide, isso sim, no tipo de sistema de alerta. Assim, cada tipo de vacina envia um ‘retrato robot’ para as células do nosso sistema imunológico usando estratégias diferentes. Assim como um retrato robot de um suspeito pode ser lançado nas redes sociais, na televisão ou nos media, diferentes vacinas usam diferentes vias de disseminação.

Outra variação das vacinas em curso é a forma como são administradas. Na sua maioria estão projetadas para ser injetados por via intramuscular, cerca de 77%. Mas há 6% que foram projetadas para ser inoculadas por via intranasal. E embora pareça que existam muitas vacinas em fase de desenvolvimento clínico, a realidade é que são necessárias vacinas muito mais eficazes contra a Covid-19 para conseguir garantir o acesso de toda a população mundial, que atualmente conta com 42% de pessoas vacinadas.

Ler Mais


Comentários
Loading...