Há três simples passos que podem reduzir o risco de cancro em mais de 60% na população idosa, aponta estudo

Tomar vitamina D, óleo de peixe ómega-3 e um programa simples de exercícios em casa pode reduzir o risco de cancro em quase dois terços entre os adultos mais velhos, segundo revelou um estudo publicado na revista científica ‘Frontiers in Aging’. Os investigadores na Suíça que estudaram um grupo de adultos saudáveis com mais de 70 anos relacionaram que os suplementos diários, assim como os exercícios regulares, reduziram os casos de doenças invasivas em 61% – os resultados chegam do estudo DO-HEALTH, que demorou três anos a ser realizado, na Suíça, Alemanha, Áustria e Portugal, e que incluiu 2.157 participantes.

Segundo os autores do estudo, esta ‘troika’ de intervenções simples e baratas pode ser uma preciosa ‘aliada’ na luta contra o segundo maior assassino do mundo. “Os esforços preventivos em adultos de meia-idade e idosos são hoje amplamente limitados aos esforços de triagem e vacinação”, apontou Heike Bischoff-Ferrari, principal autor do estudo, do Hospital Universitário de Zurique, em comunicado. O cancro é responsável, anualmente, por quase 10 milhões de vidas em todos o mundo, com as hipóteses de contrair a maioria das formas a aumentarem conforme a idade.

“No DO-HEALTH, o nosso objetivo era testar intervenções combinadas promissoras para a prevenção do cancro, aproveitando os benefícios aditivos potencialmente pequenos de várias estratégias de saúde pública”, explicou o investigador. Na verdade, os novos tratamentos contra o cancro visam bloquear vários caminhos para o desenvolvimento do cancro através da combinação de diversos agentes. Traduzimos esse conceito para a prevenção da doença.”

A equipa internacional identificou um efeito cumulativo de altas doses de vitamina D, ómega-3 e um programa simples de exercícios de força em casa (SHEP). Os testes em laboratório mostraram que a vitamina D inibe o crescimento de células cancerígenas, da mesma forma que diversos estudos apontam que os ácidos graxos ómega-3 em peixes oleosos impedem que as células normais se tornem cancerosas. Por último, a atividade física fez aumentar a imunidae e reduzir inflamações, o que pode ajudar a evitar tumores.

O estudo dividiu os 2.157 participantes em oito grupos diferentes para testar os benefícios individuais e combinados das intervenções. Um grupo recebeu 50 mcg (microgramas) de vitamina D3 por dia – mais do dobro das recomendações atuais para adultos mais velhos. Receberam também um grama de ómega-3 e participaram do SHEP três vezes por semana. Já os outros tinham vitamina D com ómega-3 ou SHEP, ómega-3 e SHEP, apenas um dos três regimes, ou placebo. Os voluntários tiveram telefonemas de check-up a cada três meses e exames padronizados de saúde e função no início e uma vez a cada 12 meses. Houve pequenas melhorias de cada uma das terapias, que se tornaram estatisticamente significativas quando usadas em conjunto.

“Este é o primeiro estudo controlado randomizado a mostrar que a combinação diária de vitamina D, suplementos marinhos de ómega-3 e um programa simples de exercícios em casa podem ser eficazes na prevenção de cancro invasivo entre adultos geralmente saudáveis ​​e ativos com 70 anos ou mais”, referiu Bischoff-Ferrari. Estudos anteriores mostraram que a atividade física benéfica pode incluir tarefas domésticas simples, como subir e descer escadas, aspirar, limpar, limpar o pó ou jardinagem.

“Os nossos resultados, embora baseados em múltiplas comparações e exigindo replicação, podem ser benéficos para reduzir a carga do cancro”, concluiu Bischoff-Ferrari. “Estudos futuros devem verificar o benefício de tratamentos combinados na prevenção do cancro, estendendo-se também a acompanhamentos mais longos além dos três anos de duração avaliados neste estudo.”

Ler Mais


Comentários
Loading...