Estreptococos A: Menino de 11 anos luta pela vida no hospital após médicos confundirem infeção com Covid-19 e distensão muscular

Numa altura em que continua a subir o número de novos casos de infeção por estreptococos A em crianças no Reino Unido, que já resultaram em mais de 10 mortes, uma mãe inglesa relatou o pesadelo vivido pela família, com o filho, Sunnie, a lutar pela vida nos cuidados intensivos, devido à bactéria. A mulher alega que os médicos inicialmente confundiram o caso com uma distensão muscular e com Covid-19.

Chontelle Gosling, de 34 anos, natural de Essex, no Reino Unido, conta que o filho, de 11 anos, ficou doente no verão, e levou-o a um médico. O especialista diagnosticou o menino, segundo relata a mãe, primeiro com Covid-19 e, depois com uma distensão muscular devido à tosse, e mandou-o para casa.

Três dias depois o estado de saúde da criança piorou e a mãe levou-o à Urgências do Hospital de Colchester. Foi depois transferido para o Royal Brompton Hospital, em Londres, para cuidados especializados. Só aí é que a mãe da criança percebeu que a situação era, de facto, muito grave.
“Chegámos lá e ele entrou logo para os cuidados intensivos pediátricos. Fizeram-lhe todos os testes. Disseram que tinha tanto líquido nos pulmões que temiam que estivesse a afetar o coração. Fiquei desesperada”, relata a mulher.

O menino acabou por passar um mês nos cuidados intensivos daquele hospital. A mulher diz que quis relatar a história vivida pela família, para que os pais estejam atentos aos primeiros sintomas de uma possível infeção: dores de garganta, erupções cutâneas, dores musculares, fadiga ou rubor no rosto.

“O Sunnie tem uma consulta marcada para daqui a duas semanas. E ainda tem líquido nos pulmões. Não consegue correr bem ainda, e perdeu parte do ano escolar. Mas estamos agradecidos aos médicos que o trataram. Disseram-nos que ele estava mesmo muito mal, e que tivemos sorte em trazê-los às urgências naquela altura”, termina a inglesa.




loading...
Notícias relacionadas