ERSE atualiza preços: Tarifas do gás natural e da luz no mercado regulado sobem 3% a partir de hoje

As tarifas do gás natural e da luz vão subir em média 3% a partir desta sexta-feira, dia 1 de abril para os clientes no mercado regulado, seguindo o anúncio feito no mês passado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Em comunicado relativo ao gás natural, a ERSE informou que “a aplicação da nova tarifa de energia produz efeitos a partir de 01 de abril de 2022 e abrange os consumidores no mercado regulado, que corresponde a cerca de 2,2% do consumo total e 230 mil clientes”.

Para a maioria dos clientes domésticos do mercado regulado, a atualização decorrente da escalada de preços nos mercados grossistas representa um aumento de aproximadamente 3% na fatura média mensal de gás natural.

Segundo estimativa do regulador do setor, este aumento de preços no mercado regulado representa um acréscimo de 33 cêntimos numa fatura média mensal de um casal sem filhos (1.º escalão de consumo, consumo 1610 kWh/ano) e de 70 cêntimos na de um casal com dois filhos (2.º escalão de consumo, consumo 3407 kWh/ano).

No comunicado, a ERSE explicou que “esta atualização ocorre num momento em que os mercados de energia são particularmente afetados pelo conflito que decorre entre a Ucrânia e a Rússia, alterando os pressupostos que estavam na base dos preços em vigor no mercado regulado”.

A ERSE divulgou também que as tarifas da eletricidade no mercado regulado vão aumentar cinco euros por MWh, a partir de hoje, o representa um acréscimo de aproximadamente 3% na fatura média mensal de eletricidade.

O regulador referiu, na mesma nota, que o aumento anunciado abrange os consumidores no mercado regulado, que em janeiro eram 927 mil clientes (cerca de 6% do consumo total).

“Esta atualização ocorre num momento em que os mercados de energia são particularmente afetados pelo conflito que decorre entre a Ucrânia e a Rússia, alterando os pressupostos que estavam na base dos preços em vigor no mercado regulado”, explicou.

Numa fatura média mensal, a partir de hoje, um casal sem filhos com uma potência 3,45 kVA (kilovoltampere) e um consumo 1900 kWh/ano passa a pagar 38,35 euros, enquanto um casal com dois filhos, uma potência de 6,9 kVA e consumo 5000 kWh/ano paga 95,19 euros.

Estes valores representam um aumento de 1,05 euros no primeiro caso e de 2,86 euros no segundo, face a uma fatura de março.

O regulador explicou que a tarifa de energia reflete o custo de aquisição de energia do Comercializador de Último Recurso (CUR) nos mercados grossistas, sendo uma das componentes do preço final pago pelos consumidores no mercado regulado.

A ERSE monitoriza, em base trimestral, a adequação da tarifa de energia do mercado regulado, face aos custos de aquisição do CUR e, nos termos do Regulamento Tarifário, “sempre que se verificar um desvio significativo relativamente ao custo de aquisição inicialmente previsto pela ERSE, deve realizar-se uma atualização da tarifa de energia”, sublinhou.

 

Ler Mais


Comentários
Loading...