Ensaio. Volvo XC90 T8 Recharge: o sueco do luxo

Por Jorge Farromba

É indissociável que a marca se posicionou no mercado pela segurança, mas também pela beleza intemporal dos seus modelos. Mesmo depois de ser adquirida manteve esse ADN.

E o XC90 é disso um bom exemplo. Um automóvel grande, portentoso, mas elegante e distinto. Luxuoso na aparência, nos detalhes e na qualidade.

O desenho clássico e minimalista perdura no tempo, com a assinatura luminosa do martelo de Thor, as jantes de 21”, as formas da carroçaria e uma traseira minimalista, mas robusta e elegante.

Diria que só pelo exterior já apetece comprá-lo.

O interior transpira qualidade e luxo. Desde os bancos (com extensão para as pernas e totalmente elétricos) aos muitos plásticos moles por todo o habitáculo, ao desenho sueco que combina minimalismo com sobriedade, elegância com luxo, às várias madeiras dispersas pelo habitáculo. Enfim, compete diretamente com a Mercedes, Audi e BMW.

Os 7 ocupantes podem assim viajar tranquilamente num habitáculo pensado para ser usufruído com um ótimo lobby de um hotel. Adicione-se a manete da caixa de 8 velocidades em cristal, o teto de abrir em vidro a oferecer ainda mais luminosidade ao interior, ajudado por uma sinfonia a cargo da Harman-Kardon.

E em estrada?

O XC90 recharge é um automóvel pesado mas potente (455cv com autonomia de 73km em modo elétrico), razões mais que suficientes para ser rápido, sendo que em curvas fechadas as leis da física fazem-se sentir na deriva mas nunca, mesmo nunca, colocando em causa a segurança.

Os consumos, quando conjugados com a bateria, são baixos mas depois podemos contar com 10 a 12 litros de média aos 100kms e a gasolina.

Contudo, este motor engana, pois o seu funcionamento não demonstra ser um 4 cilindros, seja ao nível do ruído, das vibrações e da sonoridade mas sim um 6 ou 8 cilindros. Possui vários modos de condução, desde o Hybrid, Power, Off Road e 4*4.

Em termos de condução é necessário compreender as dimensões do modelo. Em cidade é muito grande e importa estar atento. É fácil de estacionar quando auxiliado pelos vários sistemas de ajuda que possui.

Em estrada e autoestrada tudo é mais simples.

É um modelo extremamente confortável onde tudo se passa com conforto e ausência de ruído. Mesmo em modo mais desportivo é confortável. A direção não é das mais diretas como gostaria, nem é parametrizável. É mais um automóvel para grandes viagens em modo autoestrada.

Habituamo-nos ao conforto, à disponibilidade do motor, à robustez, elegância intemporal e à qualidade, num modelo com preço superior a 100.000€ mas que tem tudo para ser uma escolha acertada para viagens em grande conforto e com muito espaço disponível.

Ler Mais



loading...
Notícias relacionadas