Eleitores portugueses recusam maiorias absolutas (à direita e à esquerda), mostra sondagem

Seja do PS ou do PSD, os portugueses mostram-se contra maiorias absolutas como solução para garantir a governabilidade na próxima legislatura, segundo uma sondagem da Intercampus para o ‘Negócios’, o ‘CM’ e a ‘CMTV’.

A sondagem mostra que 60,5% dos inquiridos recusam uma maioria absoluta do Partido Socialista, contra a apenas 28% que consideram que esta poderia ser uma solução para que o partido continuasse estável durante mais quatro anos.

Já no que diz respeito aos sociais democratas, são cerca de 70% os portugueses que se mostram contra a maioria absoluta, sendo mais claros nesta escolha, ou na falta dela.

Os inquiridos foram ainda questionados sobre a melhor solução para o pós-eleições, com maioria a apontar para um governo liderado pelo PS (em maioria, aliado ao Bloco de Esquerda ou à CDU), havendo também quem sugira acordos pontuais sem alianças formais.

Já à pergunta “se o PS precisar da esquerda para governar, qual o parceiro preferencial?”, mais de metade dos eleitores, 52,3% responde Bloco de Esquerda, contra apenas 30,8% que apontam o PCP e “Os Verdes”. Adicionalmente, só 11,7% sugerem um governo PS aliado ao PSD.

Questionados sobre a culpa pelo chumbo do Orçamento de Estado para 2022, os portugueses estão divididos: 34,3% aponta para a CDU e Bloco e 32,2% acusa o PS. Uma percentagem menor, de 7,1% acha ainda que o culpado é o PSD.

Ler Mais


Comentários
Loading...