#DoNotTouchMyClothes: Mulheres afegãs lançam campanha contra uso de burca imposto pelos talibãs

As mulheres afegãs começaram uma campanha online como forma de protesto contra a imposição talibã do uso da burca para estudantes do sexo feminino, de acordo com a ‘BBC’.

Utilizando hashtags como #DoNotTouchMyClothes (não mexas nas minhas roupas) e #AfghanistanCulture (cultura afegã), muitas mulheres estão a partilhar fotos dos seus vestidos tradicionais coloridos, mostrando aquilo que realmente querem usar.

A campanha foi despoletada por imagens de mulheres afegãs em vestidos pretos compridos e totalmente tapados, cobrindo o rosto e as mãos, que se reuniram em Cabul no fim de semana para apoiar a “ordem dos talibãs”.

Num vídeo, estas mulheres disseram que aquelas que usavam maquilhagem e roupas modernas “não representavam a mulher muçulmana afegã” e sublinharam: “Não lutamos pelos direitos das mulheres que são estrangeiras e estão em desacordo com a sharia ” (versão da lei islâmica apoiada pelos talibãs).

Para contradizer estas palavras, muitas mulheres afegãs juntaram-se a uma campanha online, iniciada por Bahar Jalali, ex-professora de história da Universidade Americana no Afeganistão.

Jalali diz que começou a campanha porque “uma das minhas maiores preocupações é a identidade e soberania do Afeganistão, que estão sob ataque”.

Publicando uma fotografia sua no Twitter a usar um vestido verde afegão, a responsável pediu a outras mulheres que partilhassem a sua publicação, para mostrar “a verdadeira face do Afeganistão”.

“Quero dizer ao mundo que os trajes que têm visto nas redes sociais [referindo-se aos usados ​​por mulheres no comício pró-Talibã] não representam a nossa cultura, nem a nossa identidade”, disse à ‘BBC’.

Cada região do Afeganistão tem as suas próprias roupas tradicionais, mas, apesar da diversidade, todas elas partilham um tema comum –  muitas cores, espelhos e bordados –  e a mesma ideia: as suas roupas são a sua identidade.

“Este é o nosso vestido afegão autêntico. As mulheres afegãs usam roupas tão coloridas e modestas. A burca preta nunca fez parte da cultura afegã”, disse Spozhmay Maseed, um ativista de direitos que mora na Virgínia, numa outra publicação no Twitter.

A responsável acrescenta: “Durante séculos fomos um país islâmico e as nossas avós vestiram-se modestamente com as suas próprias roupas tradicionais”.

“As nossas roupas tradicionais representam a nossa rica cultura e história de cinco mil anos, o que faz com que todos os afegãos se sintam orgulhosos de quem são”, concluiu.

Ler Mais


Comentários
Loading...