Coreia do Norte: Kim Jong-un proibiu gabardines de couro… por poderem enfraquecer a sua autoridade

A Coreia do Norte proibiu as pessoas de usar gabardines de couro depois de o item de moda se ter tornado um dos favoritos do governante ditatorial Kim Jong-un. Usado pela primeira vez pelo líder político norte-coreano em 2019, o casaco tornou-se popular entre a elite do país, ansiosa para mostrar a sua lealdade ao Líder Supremo e que podia comprar couro de verdade.

Mas recentemente, as imitações falsificadas proliferaram e a polícia da moda agora foi implantada para fechar os comerciantes que os vendem e retirá-los das pessoas com receio de que isso desvalorize a aparência de Kim e enfraqueça a sua autoridade. ‘[A polícia] diz que usar roupas feitas para parecer com a Altíssima Dignidade é uma ‘tendência impura para desafiar a autoridade da Altíssima Dignidade’, segundo garantiu uma fonte à Radio Free Asia, que usou um título honorífico comum para se referir a Kim Jong-un. “Instruíram o público a não usar casacos de couro, porque faz parte da diretriz do partido decidir quem pode usá-los”, revelou.

A agência disse que versões falsas do casaco começaram a aparecer em setembro deste ano, quando o comércio não oficial entre a China e a Coreia do Norte foi reaberto após uma paralisação durante a pandemia da Covid-19, o que permitiu que os comerciantes começassem a adquirir couro sintético para fazer os casacos.

Kim Jong-un apareceu pela primeira vez com um casaco de couro em dezembro de 2019, numa época em que negociava com o presidente americano Donald Trump sobre o stock nuclear da Coreia do Norte. O estilo da indumentária foi notado pelos media sul-coreanos, o que sugeriu que era um indicativo do desejo de Kim de romper com a tradição e forjar sua própria identidade, associada normalmente ao estilo do seu pai e avô – fundador da Coreia de Norte – usando jaquetas ao estilo Mao e óculos de aros de tartaruga.



Comentários
Loading...