Covid: Recuperados com dose única da vacina enfrentam dificuldades em viajar para o estrangeiro

O facto de serem vacinados contra a Covid-19 com um fármaco de dose única tem-se mostrado um obstáculo para muitos portugueses recuperados, que pretendem viajar para o estrangeiro.

Segundo o ‘Jornal de Notícias’ (JN), a dificuldade prende-se com o facto de que muitos governos exigem a toma das duas doses da vacina, para que um viajante estrangeiro possa entrar naquele país, mesmo que já tenha sido infetado com o vírus.

Se isso não se verificar, aplicam-se nesses casos, as mesmas regras que são aplicadas às pessoas não vacinadas, que passam muitas vezes por testes negativos e obrigação de quarentena na chegada.

Exemplos dessa situação, adianta o jornal, são países como o Reino Unido ou o Canadá, que obrigam a um isolamento de 10 e de 14 dias, respetivamente.

A regra da Direção Geral da Saúde (DGS) dita que para já os recuperados da Covid-19 apenas necessitam de uma dose da vacina, no entanto, o esquema vacinal pode ser adaptado, se for comprovada a urgência da viagem e que o país de destino não aceita só uma dose, mas só em determinados casos.

Segundo a norma da DGS, as exceções são “necessidade de cuidados de saúde transfronteiriços”, “representação diplomática ou de estado”, “missões humanitárias” e “obrigações laborais ou académicas devidamente fundamentadas”.

Quem não insere nesses casos tem tido dificuldades em viajar. “É frustrante. Qualquer pessoa que não tenha tido covid pode viajar sem qualquer problema, mas eu como tive a infelicidade de contrair covid em janeiro não posso”, refere Teresa Colaço ao ‘JN’.

A portuguesa tem uma viagem de quatro dias marcada no Reino Unido, mas como não tem as duas doses da vacina, é considerada pelo país como não estando totalmente vacinada, o que a obriga a cumprir quarentena obrigatória de dez dias.

Ler Mais


Comentários
Loading...