Covid-19. “Todos os indicadores são decrescentes, mas não devemos baixar a guarda”. Lacerda Sales defende manutenção das medidas “por mais algum tempo”

O secretário de estado adjunto e da Saúde fez esta quarta-feira um ponto de situação da pandemia de Covid-19 em Portugal, falando numa tendência “decrescente”, mas com a necessidade de manter ainda algumas medidas.

Em declarações aos jornalistas em direto de Aveiro, António Lacerda Sales, referiu que “estamos neste momento com um valor de 18 óbitos por milhão de habitante a 14 dias, com uma incidência de 284 casos por 100 mil habitantes a sete dias e com um Rt de 0,87”.

“Isto significa que todos os indicadores epidemiológicos são decrescentes e, por isso, estamos satisfeitos, mas não devemos baixar a guarda”, alertou o responsável sanitário.

Para Lacerda Sales, “apesar de estarmos a atingir valores decrescentes, acho que devemos manter algumas medidas cautelares, que devem ser consolidadas durante mais algum tempo”.

Governante garante soluções para fecho de urgências em agosto

Lacerda Sales garantiu ainda, noutro tema, que o Governo está a trabalhar para encontrar soluções para o encerramento das urgências de Obstetrícia e Ginecologia, no mês de agosto.

“Vamos encontrar soluções para que muitas das lacunas que existem no mês de agosto possam ser ultrapassadas”, afirmou, referindo-se ao Hospital de Aveiro, uma vez que foi conhecido que o serviço estará encerrado durante a noite no próximo mês.

Segundo o responsável, “primeiro, vamos procurar completar as escalas. Procurar soluções locais”, explicou adiantando que depois, as opções em rede, são apenas tidas em conta se não for possível arranjar uma solução de proximidade.

“Os hospitais estão preparados para este trabalho em rede”, assegurou, quando questionado sobre se as soluções arranjadas não irão sobrecarregar outras unidades.

Ler Mais



loading...
Comentários
Loading...