Covid-19: Regresso dos certificados em hotéis e restaurantes, teletrabalho obrigatório, adiamento das aulas em janeiro. Portugal entra em ‘calamidade’ e isto é o que pode mudar nos próximos dias

Depois de semanas de aumento casos de Covid-19 e de um dia em que Portugal registou mais 3.770 novos infetados, o Governo reúne-se hoje em Conselho de Ministros para decidir que medidas serão tomadas, de forma a travar este aumento de casos.

Apesar de só à tarde serem conhecidas oficialmente as medidas para travar esta nova vaga da pandemia, a imprensa tem avançado esta manhã aquelas que podem vir a ser as regras a adotar pelo Governo.

Uma delas é a passagem da atual situação de alerta para “calamidade”, que segundo o jornal ‘Expresso’ visa fazer face ao aumento dos contágios de Covid-19, reforçando os poderes do Governo.

Esta medida é agora ainda mais importante, sobretudo porque se aproxima a dissolução do Parlamento, por conta das eleições antecipadas, sendo essencial para o Governo ter os poderes reforçados.

Depois, o Executivo pondera ainda o adiamento das aulas em janeiro, altura em que deveria arrancar o 2.º período letivo, adianta a ‘RTP’, medida que já tinha sido sugerida por Bernardo Gomes, professor de saúde pública, em declarações à Multinews.

O objetivo, segundo a  estação, é conter a pandemia num grupo etário com maior número de casos Covid-19, contudo, a decisão está a ser ponderada e ainda não foi tomada pelo Governo.

Adicionalmente, o teletrabalho pode voltar a ser obrigatório, segundo o ‘Negócios’, que adianta que a intenção do Governo é determinar a sua recomendação nos próximos dias, mas provavelmente apertar as regras depois do período festivo do Natal e Ano Novo.

Assim, segundo fontes citadas pelo jornal, prevê-se que nessa altura “haja uma ou duas semanas de trabalho à distância obrigatório, de forma a evitar que os potenciais contágios em ambiente familiar alastrem aos locais de trabalho”.

Paralelamente, adianta o jornal, o Governo deverá alargar até ao final do primeiro trimestre o desfasamento de horários de entrada e saída nos locais de trabalho.

Mas as medidas não ficam por aqui. Segundo o ‘Público’, o certificado digital covid-19 vai voltar a ser obrigatório nos restaurantes e nos hotéis, não se sabendo ainda se esta exigência será permanente ou apenas obrigatória ao fim-de-semana, como já aconteceu em Portugal.

Para além disso, segundo a mesma publicação, as máscaras vão voltar a ser obrigatórias em espaços fechados e terá de ser obrigatório a realização de teste à Covid-19 para ter acesso a alguns eventos, em simultâneo com a apresentação do certificado.

Outras medidas de controlo de fronteiras, como a obrigatoriedade de preenchimento por meios eletrónicos do cartão de identificação do passageiro que viajar de avião para Portugal, deverão ser adotadas. Ainda está em aberto a possibilidade de realização de testes após a aterragem em aeroportos nacionais, refere o ‘Público’.

Ler Mais


Comentários
Loading...