Covid-19: precauções com a pandemia podem ter aumentado casos de transtorno obsessivo-compulsivo

O início da pandemia da Covid-19 ‘carregou’ consigo um desencadear de comportamentos obsessivos nas pessoas. Basta recordar os desinfetantes transportados para todo o lado, a desinfeção das superfícies internas nas respetivas residências, os sacos de comida lavados e desinfetados, o atravessar a rua quando se cruzava com alguém sem máscara. A pergunta que intriga os investigadores é se a pandemia deixou as pessoas mais obsessivos ou compulsivos ou se já eramos propensos a um síndrome de que os medos relacionados à pandemia deixaram florescer? E serão esses comportamentos temporários, ou mesmo racionais, face a uma doença potencialmente fatal?

De acordo com um artigo recente da ‘Psychology Today’, os sintomas do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) são bem conhecidos e estão incluídos o medo de contaminação, muitas vezes marcado pela lavagem constante das mãos; o medo irracional da incerteza, de perder o controlo e de pensamentos indesejados; a necessidade incomum de ordem e simetria. Os comportamentos compulsivos incluem ainda a verificação excessiva de itens que podem causar danos – tais como as portas trancadas ou verificar os fogões para ver se estão acesos. Outros sintomas incluem reorganizar objetos ou seguir rotinas e padrões excessivamente rigorosos na vida diária.

É intuitivamente claro como o comportamento direcionado para a prevenção da infeção da Covid-19 pode-se sobrepor e mesclar com esses sintomas de TOC. Das 10 etapas aconselhadas para evitar a infeção, tanto pelo Service Employees International Union e o Centro para Controlo e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, pelo menos quatro – lavagem frequente e completa das mãos, tentativa de não compartilhar objetos domésticos com ninguém, desinfeção de superfícies ou tentar não tocar nos olhos, nariz e boca – podem cair nas categorias gerais de medo e obsessão associados a sintomas de TOC.

Segundo um artigo do ‘Journal of Anxiety Disorders’, os rigores dos protocolos da Covid-19 podem muito bem ter desencadeado um aumento da gravidade do TOC: uma pesquisa com quase 400 pessoas com comportamento obsessivo revelou um aumento de “72% entre os participantes de TOC”. “Um comportamento que aumentou significativamente mais forte nas pessoas que lavavam mais as mãos em comparação com as que não adotaram o hábito”, revelou.

A International OCD Foundation recomenda precauções básicas para prevenir um aumento nos sintomas do TOC durante a pandemia, nos quais incluem o estabelecimento de um plano básico de segurança baseado em recomendações de órgãos respeitados como o CDC ou a Organização Mundial da Saúde, limitando a lavagem das mãos a 20 segundos e restringindo a desinfeção de superfícies domésticas a uma vez por dia durante no máximo três minutos.



Comentários
Loading...