Covid-19: Extrato da planta de absinto pode evitar transmissão do vírus, aponta estudo

Uma equipa de investigadores de universidades norte-americanas descobriu que os extratos das folhas da planta Artemisia annua, uma erva medicinal também conhecida como absinto doce, evitam a replicação do vírus SARS-CoV-2, que causa a Covid-19 e de duas variantes, a britânica e a sul-africana.

A equipa, que inclui investigadores da Universidade de Columbia em Nova Iorque e da Universidade de Washington em Seattle, também concluiu que os extratos da planta eram mais eficazes contra o vírus se contivessem níveis baixos de artemisinina, um composto terapêutico chave.

“A Artemisia annua foi estudada extensivamente e é usada com segurança há mais de dois mil anos na medicina tradicional para tratar uma variedade de doenças relacionadas”, disse Pamela Weathers, uma das autoras no relatório. “A A. annua pode abrir portas a novos tratamentos de pequenas moléculas ou até ser usada como um nutracêutico antiviral”, pode ler-se no estudo publicado no ‘Journal of Ethnopharmacology’.

Os investigadores embeberam folhas secas de A. annua, obtidas em quatro continentes, em água quente e testaram as soluções contra o SARS-CoV-2 e duas variantes originárias do Reino Unido e da África do Sul. Os resultados mostraram que os extratos de A. annua não bloquearam a entrada do vírus nas células, mas interferiram na capacidade do vírus se replicar, matando-o.

“Estas descobertas aumentam as evidências de outros laboratórios ao redor do mundo de que esta planta possui componentes que podem ajudar os pacientes infetados com Covid-19”, disse Weathers.

“Também sabemos que a planta possui compostos que inibem a inflamação e a formação de tecidos semelhantes a cicatrizes, conhecidos como fibrose, que também afetam pacientes com a doença viral. Juntas, essas características apontam para uma planta que merece muito mais estudos”, concluiu.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...