Covid-19: Efeitos secundários da vacina de reforço são menos “intensos” do que nas primeiras doses

Em comparação com as primeiras doses da vacina contra a Covid-19, a injeção de reforço causa efeitos secundários mais ligeiros, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, citados pela ‘CNBC’,.

“As pessoas tiveram menos reações após a terceira dose do que após a segunda”, disse a diretora do CDC, Rochelle Walensky, em conferência de imprensa na Casa Branca.

Segundo a responsável, se sentiu efeitos secundários com a segunda dose da vacina, provavelmente vai sentir efeitos semelhantes após o reforço, mas de maneiras menos graves.

O CDC descreve os efeitos secundários típicos do reforço de Covid-19 como “ligeiros a moderados”, em comparação com os “intensos” que geralmente se verificam após a segunda dose.

Isto acontece principalmente porque a primeira e segunda doses já estabeleceram um esquema de combate a vírus para o sistema imunológico. Um reforço essencialmente dá ao organismo mais prática na montagem de uma defesa contra a Covid-19.

Para além disso, os reforços da Moderna e da Janssen são doses menores face às suas formulações originais, o que também pode diminuir os efeitos secundários. Já o reforço da Pfizer tem a mesma dosagem das duas primeiras injeções.

Os efeitos secundários mais comuns para todos os três reforços são dor e inchaço no local da injeção, fadiga, dores musculares, dor de cabeça, febre, bem como arrepios e náuseas. Os efeitos menos comuns incluem gânglios linfáticos inchados ou doridos. Todos geralmente se dissipam em dois ou três dias, no máximo.

O CDC observa ainda que se qualquer “vermelhidão ou sensibilidade” perto do local da injeção piorar após 24 horas, ou se os efeitos secundários não desaparecerem após alguns dias, deve entrar em contato com um médico ou profissional de saúde.

Ler Mais


Comentários
Loading...