Costa reage a chumbo do Orçamento e deixa garantia aos portugueses: “Podem contar com o Governo para continuarmos a assegurar a governação do país”

O primeiro-ministro, António Costa, já reagiu ao chumbo da proposta de Orçamento de Estado para 2022.

“O Governo sai desta votação de consciência tranquila e cabeça erguida. Nunca voltaremos as costas às nossas responsabilidades, nem aos portugueses”, disse à saída do Parlamento.

O responsável quis deixar “uma palavra de confiança a todos: Podem contar com o Governo para continuar a assegurar a governação do país, mesmo nas condições mais adversas de não dispormos de um Orçamento”.

“Embora naturalmente, tendo a Assembleia da República tomado esta decisão, que não permite avançar nas negociações do Orçamento, caiba neste momento ao senhor Presidente da República, avaliar a situação e tomar as decisões que entenda”, disse.

Costa sublinhou que “o Governo respeita as competências do Presidente da República, nenhum comentário terá a fazer às suas decisões e cá estaremos para fazer o que for decidido”, garantiu. “Governar por duodécimos se for essa a sua decisão ou ir para eleições”, acrescentou.

Recorde-se que o Orçamento do Estado para 2022 não reuniu votos suficientes no Parlamento para ser aprovado e, numa situação inédita, é a primeira vez que um Governo eleito não consegue fazer passar o documento.

A proposta contou com os votos contra de PSD, BE, PCP, PEV, CDS-PP, IL e Chega. Abstiveram-se as deputadas não inscritas e o PAN e votou a favor o PS.

O país mergulha assim numa crise política e o Presidente da República deve avançar de imediato para a dissolução da Assembleia da República e para a convocação de eleições antecipadas. Como avisou Marcelo Rebelo de Sousa, este é um processo que deverá durar seis meses.

Ler Mais


Comentários
Loading...