Buscas na casa de Rendeiro: PJ deu pela falta de 15 das 124 obras de arte. Há ainda duas que “não correspondem” à descrição

A Polícia Judiciária (PJ) realizou ontem buscas na casa do ex-banqueiro, João Rendeiro, para verificar o estado da coleção de arte por si apreendida e não encontrou 15 de um total de 124 quadros, observando ainda que dois “não correspondem” à descrição feita na apreensão, avança o ‘Expresso’.

Segundo a mesma publicação, em novembro de 2020 foram apreendidos 124 quadros. Um despacho da juíza Tânia Loureiro Gomes, determinou que “apesar de corresponderem à descrição” há obras sobre as quais há suspeitas de terem sido “falsificadas”, motivo pelo qual foi ordenada a retirada de toda a coleção da casa dos Rendeiro.

A mulher do ex-banqueiro, Maria de Jesus Rendeiro, mostrou-se contra a retirada das obras, segundo fonte judicial citada pelo ‘Expresso’, que adianta que mais tarde a mulher admitiu ser “natural” que as obras tivessem sido movimentadas ao longo de 10 anos e que “metade” das que estão em falta podem ter sido guardadas “fora da residência”.

O jornal refere ainda que o quadro “53”, um óleo sobre tela de Robert Loncher, se encontrará no “hall da garagem” da casa da Quinta Patiño e que cerca de outras oito obras estarão em paradeiro incerto e a ser procuradas por Maria de Jesus Rendeiro.

Provando-se que efetivamente mudou as obras de sítio, a mulher de Rendeiro pode ser acusada pelo crime de descaminho, punível com cinco anos de prisão, uma vez que teria de ter comunicado ao tribunal essa intenção, porque a coleção pertence agora ao Estado, estando apenas sob a guarda daquela família, escreve ainda o ‘Expresso’.



Comentários
Loading...