Brexit: UE recusa proposta do Reino Unido sobre Protocolo da Irlanda do Norte

A Comissão Europeia rejeitou uma proposta de compromisso do Reino Unido sobre o Protocolo da Irlanda do Norte, na qual é exigido que o bloco adote uma abordagem mais flexível em questões de segurança alimentar e saúde animal, avança a ‘RTÉ News’.

O governo britânico tem pressionado a União Europeia (UE) a adotar uma abordagem de avaliação de risco mais flexível, de forma a conseguir gerir grandes volumes de alimentos de origem animal que entram na Irlanda do Norte vindos do Reino Unido, nos termos do Protocolo.

No entanto, segundo a mesma publicação, após uma análise, Bruxelas concluiu que permitir uma maior flexibilidade com base no risco iria pôr em causa um conjunto de regras da UE em matéria de segurança alimentar e saúde animal.

Assim, a ideia da UE é que o Reino Unido se alinhe com as regras de segurança alimentar do bloco, mesmo que seja temporariamente, de forma a conseguir lidar com os encargos dos controlos e verificações de produtos no Mar da Irlanda.

De acordo com o protocolo, a Irlanda do Norte mantém-se dentro do mercado único de bens da UE, o que significa que continuará a aplicar as regras de segurança alimentar do bloco, incluindo para os produtos alimentares que entram no Reino Unido, que se tornou um país terceiro.

Isso significa que grandes remessas de alimentos fornecidas aos supermercados da Irlanda do Norte exigem agora pesados ​​certificados sanitários de exportação, devendo ser assinados por um veterinário, se esses produtos contiverem carne, ovos ou laticínios.

O protocolo também prevê que carnes frias, incluindo salsichas, carne picada e refeições preparadas não congeladas que contenham carne, sejam proibidas de entrar na Irlanda do Norte, vindas do Reino Unido.

Esta última proibição foi suspensa durante seis meses graças a um acordo alcançado entre Bruxelas e Londres em dezembro. Também a necessidade de certificados sanitários de exportação foi dispensada durante três meses, até 1 de abril, mas o governo britânico alargou esse período de carência unilateralmente. A Comissão Europeia entrou com uma ação legal por causa desse movimento.

Apesar disso, funcionários da UE e do Reino Unido estão em contacto diário sobre o protocolo. Segundo a ‘RTÉ’, ambas as partes estão a trabalhar num documento conjunto sobre o caminho a seguir, podendo haver uma reunião até ao final de maio, mas apenas em caso de acordo, o que para já não se verifica.

 

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...