Brasil regista desmatamento recorde da floresta amazónica em 2022: foram perdidos 3.750 quilómetros quadrados

A floresta amazónica do Brasil foi desmatada a um nível recorde no primeiro semestre de 2022, revelou esta terça-feira o Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE) do Brasil – os dados de satélites do INPE mostram que foram perdidos cerca de 3.750 quilómetros quadrados da maior floresta tropical do mundo entre 1 de janeiro e 24 de junho, o valor mais alto desde 2016, altura em que o instituto iniciou a monitorização.

Segundo a ‘CNN’, os satélites do INPE têm vindo a registar novos recordes mensais de desmatamento desde o início do ano – foi também assinalado um recorde de 2.562 incêndios na Amazónia no mês passado – em maio último, o INPE detetou 2.287 incêndios na floresta tropical, o maior número para aquele mês desde 2004.

Os cientistas preveem que o desmatamento vai continuar a aumentar antes das eleições presidenciais em outubro no Brasil, o mesmo que aconteceu antes das três últimas eleições. A fiscalização ambiental tende a enfraquecer em anos eleitorais e costuma registar-se um aumento da atividade de desmatamento antes da posse de um novo Governo, relatou Carlos Souza Jr, investigador do ‘Imazon’, instituição brasileira de pesquisas.



Comentários
Loading...