Brasil: Inquérito parlamentar à pandemia começa a ouvir ministros da saúde de Bolsonaro. Mandetta e Teich são os primeiros

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Brasil decidiu investigar a abordagem do país à pandemia, convocando os quatro ministros da saúde que já passaram pelo governo do atual presidente, Jair Bolsonaro, para uma audiência. Dois deles, Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich, são ouvidos já esta terça-feira, segundo o jornal ‘G1’.

De acordo com a agenda da CPI, as audiências acontecem todas no decorrer desta semana, sendo que Mandetta e Teich serão os primeiros a ser ouvidos hoje, inaugurando assim as sessões, seguidos pelo general Eduardo Pazuello na quarta-feira, 5 de maio e, por último, pelo atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na quinta-feira, 6 de maio.

O ‘G1’ adianta ainda que a agenda das convocatórias foi definida pelo relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que convocou também o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), António Barra Torres, que será ouvido no mesmo dia de Queiroga, (quinta-feira, 6 de maio).

O depoimento de Eduardo Pazuello é um dos mais aguardados pelos integrantes da CPI. O general do Exército liderou o Ministério da Saúde entre maio de 2020 e março de 2021. A sua gestão foi marcada por recordes sucessivos no número de mortes por Covid-19, devendo por isso ser abordados na audiência, temas como aquisição de vacinas, ou a indicação de medicamentos sem eficácia comprovada contra a doença.

Recorde-se que Bolsonaro foi apanhado no inicio do mês passado a pressionar um dos senadores, Jorge Kajuru, numa conversa telefónica divulgada pelo mesmo através das redes sociais. Um juiz obrigou o Senado a investigar a atuação do Governo na luta contra a covid-19, no entanto o Presidente brasileiro tem receio de que as conclusões possam prejudicá-lo e quer que os governadores também sejam ouvidos.

Bolsonaro diz ao senador que a comissão só vai investigar o governo federal, e não, governadores e presidentes dos estados, temendo por isso, que seja feito um “relatório sacana”. Por esse motivo, no áudio que entretanto foi tornado público, pode ouvir-se Bolsonaro a pressionar Kajuru para que este faça pedidos de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), de forma a mudar o foco da comissão de inquérito responsável pela investigação.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...