Autárquicas: 80% dos atuais presidentes apresentam recandidatura e mais de metade fazem-no pela última vez

Cerca de 80% dos atuais presidentes das várias câmaras municipais do país, vão voltar a candidatar-se nas eleições autárquicas de26 de setembro, com mais de metade (56%) a fechar um ciclo concorrendo pela última vez, avança o ‘Público’.

Segundo a mesma publicação, há no total 250 presidentes em busca de uma reeleição: 118 do PS, 82 do PSD, 21 da CDU, cinco do CDS, 16 por movimentos de cidadãos e mais três – Nós Cidadãos, JPP e Livre/PS).

Para além disso, deste total, 142 vão entrar no terceiro e último mandato, caso sejam eleitos: 71 do PS, 50 do PSD, 17 da CDU e três do CDS, adianta o jornal sublinhando que em 2025, os partidos terão de renovar mais de metade dos seus cabeças de lista (56%) e praticamente metade do total de eleitos (45,7% dos 308 municípios).

Não se espera que até essa altura haja nenhuma mudança radical, visto que à partida todos os autarcas recandidatos têm uma larga vantagem sob os seus rivais mais próximos, de cerca de 15 pontos percentuais, segundo o ‘Público’.

O facto de um número tão elevado de presidentes estar prestes a exercer pela última vez, deve-se à lei da limitação de mandatos, que vigora desde 2006 e que impede que um presidente de câmara se recandidate após cumprir três mandatos consecutivos.

Nesta situação este ano estão nomes como: José Pinto Moreira (Espinho), António Vilela (Vila Verde), Gustavo Duarte (Foz Côa), Farinha Nunes (Sertã), Paulo Inácio (Alcobaça) e Rui André (Monchique), do PSD; Victor Mendes, (Ponte de Lima) do CDS.

Do lado do PS estão: José Maria da Costa, (Viana do Castelo), Gonçalo Rocha (Castelo de Paiva), Costa Gomes (Barcelos), Artur Neves (Miranda do Douro), José Alexandrino (Oliveira do Hospital), Humberto Oliveira (Penacova), Carlos Figueiredo (Seia) e Adelino Soares (Vila do Bispo).

Ler Mais


Comentários
Loading...