Alterações climáticas: Mais de 12 milhões de mortes anuais associadas a fatores de risco ambientais

Mais de 12 milhões de mortes em todo o Mundo estão associadas a fatores de risco ambientais a cada ano, afirmou esta quarta-feira o diretor-adjunto da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Jarbas Barbosa, durante a conferência de imprensa semanal da OPAS, que realçou como o meio-ambiente e saúde estão interligados.

“A saúde do nosso planeta e a saúde das nossas pessoas estão interligadas”, disse Barbosa, acrescentando que as altas temperaturas e a poluição atmosférica têm levado a um aumento das doenças cardiovasculares e respiratórias.

“O clima extremo e o aumento das temperaturas mudaram os nossos ecossistemas e deslocaram pessoas das suas casas, muitas vezes forçando os humanos a violar habitats naturais e os animais a mudarem-se para condições mais hospitaleiras”, garantiu Jarbas Barbosa, acrescentando que isso levou a um aumento de doenças como Zika e Chagas.

“E a dengue, que normalmente segue um padrão sazonal, está a ser detetada fora de seu ciclo normal, pois as temperaturas aumentaram e as temporadas de chuva se prolongaram-se”, finalizou.

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente relatou esta semana que, embora os países tenham prometido cortar as emissões de gases de efeito estufa, há uma grande lacuna entre essas promessas e o que é necessário para evitar as piores consequências da crise climática.



Comentários
Loading...