“A Rússia é um país de tristeza”: Metro de Moscovo despede funcionária por ir trabalhar “demasiado feliz”

Muita alegria no trabalho pode ser causa para o despedimento. Pelo menos na Rússia. Isto porque o Metro de Moscovo interpôs um processo disciplinar para despedir uma funcionária, justificando que esta se presenta no emprego “demasiado feliz”.

O caso, relatado pelo jornal russo online Baza, e divulgado nas redes sociais, acabou por ter um final feliz.

Nina Bandur era revisora na estação de metro de Nakhabino e conhecida de todos. Era habitual encontrara a mulher, sorridente, mal se entrava nas instalações. A todos, desejava “um muito bom dia e boa saúde”. Mas nem todos ficavam agradados com a simpatia da funcionária.

Segundo relata fonte ao Baza, a mulher começou a ter problemas no trabalho após ter sido alvo de críticas por um supervisor de turno por ser “demasiado recetiva” a conversas com os utilizadores do metro de Moscovo. Para a pressionar, o responsável trocou a funcionária de turnos, obrigando-a, depois a mudar para outra estação para cumprir funções. Nina ficou assim na estação de Opalinkha, onde continuava, desde o ano passado, a distribuir sorrisos e simpatia.

Acontece que, nessa estação, um passageiro não viu com bons olhos a simpatia da funcionária, e acabou por, primeiro, reclamar com Nina e, depois, fazer uma reclamação aos serviços do metro de Moscovo. O homem reclamou que a colaboradora tinha “uma postura e uma simpatia desadequadas para a sua função” e justificava-se dizendo que “a Rússia é suposto ser um país de tristeza”.

A reclamação chegou à administração do Metro de Moscovo, que interpôs um processo disciplinar para a tentar afastar, ameaçando-a que seria imediatamente transferida para outra estação por se apresentar “demasiado feliz” ao cumprir as suas funções.

Acontece que Nina foi ‘colecionando’ fãs entre os passageiros do metro, que acabaram por saber o que tinha acontecido e juntaram-se em defesa da mulher.

Foram criados chats e páginas nas redes sociais de apoio à funcionária mais simpática do metro de Moscovo, contactos diretos e uma enchente de cartas enviadas à administração, para que suspendesse imediatamente o processo de despedimento de Nina, que a deixassem continuar na estação de Opalinkha e até que fosse indemnizada. Os responsáveis acabaram por ceder, e desistiram de tentar afastar a funcionária, mantendo-a a trabalhar em Opalinkha, como pedido pelos ‘fãs’ do sorriso de Nina.
A mulher, em 2018, já tinha sido protagonista de um vídeo viral, depois de vários passageiros do metro de Moscovo se terem juntado para fazer uma festa de aniversário a Nina.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.