“A Amazónia não pega fogo por ser uma floresta húmida”, diz Bolsonaro

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse esta segunda-feira uma nova frase que está envolvida em polémica. Na inauguração do ‘Invest in Brazil Forum’, no Dubai, o responsável falou sobre a floresta Amazónia, incentivando os investidores a visitá-la, avança a ‘CNN’.

“Nós queremos que os senhores conheçam o Brasil de facto. Um passeio pela Amazónia é algo fantástico…. Até para que vejam que a nossa Amazónia, por ser uma floresta húmida, não pega fogo, e para conhecerem realmente o que ela tem”, disse Bolsonaro.

O responsável acrescentou: “Com toda certeza é uma viagem inesquecível”, onde se pode “conhecer o paraíso na terra”, sublinhou. “A Amazónia é um património, a Amazónia é brasileira. Vocês vão comprovar isso e trarão uma imagem que condiz com a realidade”, disse.

“Os ataques que o Brasil sofre quando se fala na Amazónia não são justos. Mais de 90% daquela área está preservada. Está exatamente igual a foi descoberta no ano de 1500. A Amazónia é fantástica”, destacou o presidente brasileiro.

Os últimos dados do Prodes (Projeto de Monitorização da Desflorestação na Amazónia Legal), a cargo do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) mostram que cerca de 729 mil quilómetros quadrados do bioma Amazónia, o que corresponde a 17% do total, foram desflorestados até 2020. Desse total, 300 mil km² foram desflorestados nos últimos 20 anos.

Para além disso, em outubro de 2021 registou-se o segundo pior índice de desflorestação da Amazónia na história da monitorização, que é feito desde 2015. Foram 795,1 km² de área desflorestada na região em outubro.

No total acumulado do ano, 2021 já ultrapassou o nível de desflorestação do ano passado, mas ainda está um pouco abaixo em relação ao ano de 2019. Já em comparação com 2017 e 2018, já se registou em 2021 o dobro da desflorestação na região.

Ler Mais


Comentários
Loading...