As baterias dos carros elétricos ficam viciadas como as dos telemóveis?

O problema das baterias viciadas é bem conhecido de todos nós relativamente aos telemóveis. Por isso, os fabricantes recomendam que as baterias estejam sempre com a carga entre os 20% e os 80%. Mas será que este mesmo problema afeta os carros eléctricos?

Os veículos elétricos têm um sistema de gestão da bateria que assegura o recarregamento ou descarregamento, de forma a “minimizar a deterioração da bateria”, explica um especialista citado pelo site Quatro Rodas.

No entanto, tal como nos telemóveis, os especialistas recomendam que o carro circule sempre entre os 20 e os 80% de bateria carregada, o que favorece a sua vida útil, além de possibilitar a “regeneração de energia por ainda ter capacidade livre de armazenamento.”

“Isto porque o carregamento gera calor e quanto mais tempo a bateria está exposta a este, maiores serão os possíveis danos. Ou seja, quanto menos tempo estiver ligado à corrente melhor”, explica ainda o site da Standvirtual.

É também fundamental saber o tipo de bateria que alimenta o carro elétrico, uma vez que o mesmo determina uma série de cuidados a ter. Por exemplo, no caso das baterias de iões de lítio, que são as mais comuns atualmente, é aconselhável nunca deixar que as mesmas descarreguem completamente e também não é muito saudável permitir que o carregamento atinja os 100%.

Ainda de acordo com o Standvirtual, “também é importante não colocar o carro a carregar quando este está quente. Depois de o desligar, deixe que os vários componentes, sobretudo os que formam a bateria, arrefeçam. Só depois, ligue a ficha”.

Ler Mais


Comentários
Loading...