Veneza está para já fora da lista de Patrimónios Mundiais em risco da UNESCO

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), decidiu, esta quinta-feira, que Veneza vai mesmo continuar a integrar a lista do Património da Humanidade, mas fora da lista de locais em risco.

De acordo com a AFP,  os assessores da organização haviam recomendado que a cidade histórica mudasse para a lista de Património da Humanidade em risco, apelando à necessidade de haver um esforço por parte da comunidade internacional para ter em conta a situação da região italiana, que se encontra de ano para ano a piorar.

Vários grupos locais como o Citizens for Air, o We are Here Venice e a World Wildlife Fund Venice partilham da mesma opinião. Acreditam que é preciso mudar a abordagem e que deve haver mudanças radicais para que o panorama seja outro.

Nas palavras da diretora-executiva da We Are Here Venice, citadas pela AFP, “o setor privado e o setor civil precisam de trabalhar melhor e em conjunto” para conseguirem resolver problemas, como o “turismo desproporcional”, o “declínio populacional” e a “má governação”.

Apesar de ter aprovado projetos em 2013, em 2017 e em abril deste ano sobre o tema, as promessas do governo italiano não haviam saído do papel. Só depois de a Unesco “ameaçar” que iria analisar a questão é que Roma decidiu agir e anunciou, a 13 de julho, a proibição da navegação de navios com mais de 25 mil toneladas – como os de cruzeiro – pela Bacia de San Marco e pelo Canal de Giudecca.

Veneza ficará para já até dezembro de 2022 na lista do Património da Humanidade da UNESCO, e mais tarde saberá qual serão os novos passos a serem tomados por parte da organização.

Ler Mais




Comentários
Loading...