Testes à covid-19: Autoridades de saúde ordenam, empresas e organizadores de eventos pagam

O Governo anunciou hoje que vai passar a ser obrigatório fazer testes de diagnóstico à covid-19 para se ter acesso a eventos desportivos, culturais e familiares, incluindo casamentos e batizados.

Durante o briefing da reunião do Conselho de Ministros, a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, foi questionada sobre a possibilidade de apoios estatais à testagem.

Vieira da Silva esclareceu “que aqui temos duas situações”: como decorreu até aqui, “em empresas com mais de 150 trabalhadores, onde as autoridades de saúde determinam se são ou não feitos os testes”, se tal acontecer “as empresas têm de pagar” esta diligência, como esclarece a Governante.

Relativamente aos eventos desportivos e culturais, a ministra esclarece que “a Direção Geral de Saúde (DGS) vai determinar qual dimensão em que é necessária testagem obrigatória”.

A fatura destes testes é paga por quem gere estes eventos.

Questionada se a exigência de testagem em eventos de gestão privada não seria violador do princípio constitucional da liberdade, a Governante explicou que: “Temos um conjunto diversificado de testes, muitos deles menos intrusivos”, e acrescentou “sempre que se verifiquem ajuntamentos devemos testar-nos”. Por fim, a ministra recorreu ao exemplo internacional: “Esta  preocupação está presente em muitos países”.

“Em batizados e casamentos deve ser o participante que paga o testes, se o organizador o faz é com ele, mas deve zelar que os convidados são testados”, sublinha a ministra.

Mariana Vieira da Silva reconheceu que o acesso aos testes gratuitos concedidos pelas Câmaras Municipais tem sido reduzidas, no entanto lembrou: “A nossa experiência de rastreio e testes em áreas como educação e lares é de que esta tem um contributo muito substancial”.

No que toca à sanção para quem incumpre, a ministra é clara: “Quem não faz o teste, não pode ingressar nestes eventos”. Quanto à fiscalização, Vieira da Silva explica que será realizada como as “restantes fiscalizações”.

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...