Centenas de detidos em manifestações a favor de Navalny por toda a Rússia

Mais de uma centena de pessoas foram já detidas um pouco por toda a Rússia quando protestavam contra a detenção e pela libertação imediata de Alexei Navalny, opositor de Vladimir Putin.

As primeiras manifestações ocorreram no Extremo Oriente russo e na Sibéria, onde vários milhares de pessoas tomaram as ruas, principalmente em Vladivostok, Khabarovsk e Tchita, diante de um grande número de polícias antimotim deslocados para os locais dos protestos, de acordo com apoiantes de Navalny.

Em Yakutsk, ao sul do Círculo Polar, os manifestantes enfrentaram o frio extremo para se manifestarem, com -50 graus Celsius.

Os apoiantes de Alexei Navalny tentam forçar o Kremlin a libertar o opositor russo, num plano que foi desenhado pelo próprio e pela sua equipa, ainda antes de este ter saído da Alemanha rumo a Moscovo no passado domingo, revela a agência Reuters.

Leonid Volkov, um apoiante próximo de Navalny, afirmou em declarações à referida agência que o plano da oposição também envolve a divulgação de investigações no YouTube sobre Putin e os seus pares, semelhantes à publicada na terça-feira, onde Putin é acusado de ter propriedades não declaradas. Este vídeo teve até agora 53 milhões de visualizações.

Alexei Navalny, um crítico persistente de Vladimir Putin, foi detido no domingo depois de partir da Alemanha para voltar a casa pela primeira vez desde que foi envenenado no passado mês de agosto. A sua detenção gerou uma onda de protestos e de pedidos internacionais para que fosse libertado de imediato, entre os quais os que foram feitos pelos Estados Unidos, pela Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, mas também pela ONU e pelo ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas.





Notícias relacionadas
Comentários
Loading...