Renda acessível só para quem vive em Lisboa há 10 anos? Primeira proposta de Moedas chumbada

A proposta apresentada pelo atual executivo de Lisboa, que propunha que o programa de renda acessível da autarquia fosse apenas acessível a quem vive ou viveu nos últimos 10 anos em Lisboa, foi largamente rejeitada em reunião pública da autarquia, avança o Observador.

O PS acusou o executivo de Carlos Moedas de “alimentar a agenda da extrema-direita” e mereceu os votos contra do PS, Livre, BE, PCP e Paula Marques, a anterior responsável pelo pelouro da habitação no executivo de Medina, e que é agora independente.

De acordo com o Observador, a antiga vereadora apontou que “o caminho não pode ser pela restrição”. “Esta proposta é já uma assunção de derrota. Vêm dizer-nos que aquilo que tanto pugnaram no mandato anterior na ação política do vosso executivo é a assunção da derrota que não vão corresponder àquilo que tanto identificaram”, disse.

“O PSD é um partido que combateu em vários momentos pela democracia deu alguns bons exemplos e, neste momento, por um certo pânico da extrema direta, encosta-se à lógica de primeiro os lisboetas que faz lembrar Trump com o slogan Primeiro América”, disse ainda o ex-vice-presidente da autarquia João Paulo Saraiva.



Comentários
Loading...