Opel moderniza centro de baterias de Rüsselsheim

A Opel anunciou uma modernização do centro de baterias alemão que foi instalado há dez anos para fazer a manutenção dos packs de alta tensão do seu primeiro modelo elétrico, o Ampera, e que hoje trabalha também com as baterias de modelos mais recentes como o Corsa-e e o Zafira-e Life.

Em comunicado, a marca afirma que o centro tem agora capacidade para fazer testes e, se necessário, reparar as baterias de todos os modelos desenvolvidos com base na plataforma eCMP (os atuais Opel Corsa-e e Mokka-e), bem como do Combo-e, do Vívaro-e e do Zafira-e Life. Até ao final deste ano, a Opel terá em comercialização nove modelos elétricos e, até 2024, oferecerá uma versão eletrificada em cada uma das suas gamas. 

Segundo Marcus Lott, diretor-geral de Engenharia da Opel, “as avarias são muito raras, mas se acontecerem, o apuramento das causas e a execução de reparações são tarefas para especialistas. Colocamos agora a nossa competência à disposição de toda a companhia e prestamos um rápido apoio”. 

Além desta modernização, o centro de reparação de baterias localizado em Rüsselsheim conta com a colaboração de todos os funcionários, que possuem formação profissional em sistemas elétricos de alta tensão de nível 5. Na prática, o que estes técnicos fazem é resolver aqueles casos que os concessionários europeus não conseguem solucionar.

Segundo a Opel, em 2020, “isto representou cerca de 100 avarias detetadas em unidades com um máximo de dez anos de idade, requerendo a substituição das unidades de controlo, ou no pior dos casos, das células de bateria”.

Assim, perante um caso sem solução no ambiente de concessionário, as baterias são enviadas para Rüsselsheim, onde o invólucro selado é aberto pelos especialistas em sistemas elétricos de alta tensão. A célula defeituosa é trocada e o conjunto de baterias é devolvido ao cliente. Em casos mais graves”, diz a Opeltais como danos decorrentes de uma colisão, estão sempre disponíveis em Rüsselsheim baterias recondicionadas em número suficiente para entrega imediata, evitando assim a imobilização prolongada do automóvel. 

A Opel acrescenta que estas baterias danificadas só podem ser abertas no centro de baterias de Rüsselsheim: A unidade selada é aberta por especialistas com formação em eletricidade de alta tensão. As células danificadas são substituídas e a bateria plenamente funcional é enviada para o armazém como unidade de substituição. 

Ler Mais




Notícias relacionadas
Comentários
Loading...